Magnussen acredita que novo regulamento da F1 vai tornar asa-móvel mais efetiva: “Indica mais disputas”

Kevin Magnussen disse que o novo regulamento técnico da F1, que aumenta o downforce nos carros, facilita as ultrapassagens por asa-móvel. É uma boa notícia para uma categoria que deve ter menos manobras em 2017

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Kevin Magnussen traz uma notícia interessante para aqueles que temem por uma F1 de poucas ultrapassagens após as mudanças do regulamento técnico. Se a expectativa é de dificuldade de ver dois carros andando próximos, pelo menos a asa-móvel deve ser mais efetiva em 2017.
 
De acordo com Magnussen, os carros com mais downforce vão enfrentar maior dificuldade para desenvolver velocidade nas retas. Melhor para quem tiver a chance de usar o DRS e diminuir o arrasto aerodinâmico.
 
“O DRS deve ter um efeito maior do que ano passado, já que temos mais downforce e arrasto na asa traseira”, ponderou Magnussen. “Quando você abrir o DRS, isso deve gerar uma diferença maior (de velocidade) em relação ao carro da frente. É algo que indica mais disputas. Com mais downforce, você espera que seja difícil seguir próximo do carro da frente, mas vamos precisar esperar e ver”, continuou.
 
Um fator que facilitava as ultrapassagens até 2016 era a aerodinâmica pouco desenvolvida. Os carros não geravam muita turbulência para quem vinha atrás, facilitando a aproximação e, consequentemente, a ultrapassagem. Em 2017, esta será uma tarefa bem mais árdua.
Kevin Magnussen conheceu a fábrica da Haas (Foto: Haas)
Mesmo assim, Magnussen não fica incomodado. O dinamarquês está feliz pela chance de pilotar carros mais desafiadores.
 
“Eu estou animado porque ter carros velozes é bom para nós. Queremos acelerar, andar rápido e estar no limite. Na última geração de carros, a aderência era tão baixa e a potência, na comparação, era muito alta. Isso te deixava no limite a partir do momento que você saía dos boxes. Agora vai ser legal pilotar um carro que te desafia a encontrar o limite”, finalizou.
 
A temporada 2017 da F1 tem início marcado para 26 de março, com o GP da Austrália.
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube