F1

Magnussen avalia que Haas usa recursos melhor que Renault: “A gente nem devia lutar com eles”

Kevin Magnussen acha que a briga da Haas com a Renault no Mundial já é um grande feito por si só, dadas as realidades de cada equipe. O dinamarquês precisa ajudar os americanos a recuperar um déficit de 30 pontos em duas corridas
Warm Up / Redação GP, de Berlim
 Kevin Magnussen (Foto: Haas)
Haas e Renault viraram rivais na disputa pelo quarto lugar no Mundial de Construtores, algo que já deixa Kevin Magnussen orgulhoso. Mesmo que as chances de terminar na frente da equipe francesa sejam pequenas, Magnussen pensa que a proximidade já indica que a escuderia americana sabe aproveitar melhor seus limitados recursos.
 
O comentário de Magnussen tem a ver com a diferença de realidades entre Haas e Renault. A equipe francesa tem apoio de fábrica e mais dinheiro disponível, enquanto a americana tenta contra-atacar apenas com a aliança técnica com a Ferrari.
 
“A gente nem devia estar lutando com a Renault na F1”, afirmou Magnussen. “Eles têm muito mais recursos, uma grande fábrica e muita gente envolvida. Nós fazemos um uso muito melhor daquilo que nós temos do que eles fazem. Isso é algo para a gente se orgulhar. Na média estivemos mais rápidos do que eles esse ano, então é uma pena estar atrás deles no campeonato. Só precisamos evoluir a partir daqui. Demos um passo adiante esse ano e mostramos que podemos ter um carro para ser o ‘melhor do resto’. Só precisamos minimizar os erros, somar pontos e conseguir os resultados que merecemos”, continuou.
Kevin Magnussen ainda sonha com o quarto lugar no Mundial de Construtores (Foto: Haas)
O comentário de Magnussen vem um dia após o anúncio de que a Haas não conseguiu recuperar o sexto lugar de Romain Grosjean no GP da Itália. O francês foi desclassificado por usar um assoalho irregular, infração detectada pela própria Renault. Com os oito pontos perdidos, a Haas precisa tentar zerar um déficit de 30. Com duas corridas restando, é necessário uma combinação improvável de resultados para a virada acontecer.
 
“A briga no pelotão intermediário segue intensa, mas nossa distância para a Renault cresceu. Ainda estamos confiantes de que podemos buscar e vamos fazer de tudo para maximizar nossas chances. Temos uma boa vantagem atrás de nós, mas sabemos que as coisas podem mudar rapidamente, então vamos somar o maior número de pontos possível”, encerrou Magnussen.

O Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece este ano nos dias 9, 10 e 11 de novembro, no autódromo de Interlagos. Os ingressos para a corrida estão disponíveis no único site oficial do evento: www.gpbrasil.com.br