F1

Magnussen deixa resultados de lado e põe meta para Singapura: “Ficar o mais longe possível de Alonso”

Kevin Magnussen e Fernando Alonso protagonizaram um duelo em plena classificação do GP da Itália e bateram boca nos bastidores em Monza. Duas semanas depois, o dinamarquês nem quer saber de andar perto da McLaren do bicampeão
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Kevin Magnussen (Foto: AFP)
No primeiro dia de setembro, Kevin Magnussen e Fernando Alonso duelaram na pista em pleno Q2 do treino classificatório do GP da Itália, em Monza. O bicampeão forçou uma ultrapassagem sobre Magnussen quando os dois começavam voltas rápidas. Resultado: os dois escaparam na primeira chicane, perderam tempo e quase bateram.
 
Nos bastidores ao longo do fim de semana, os dois trocaram farpas. Magnussen foi mais áspero e detonou Alonso ao apontá-lo como oportunista e foi além: “Eu não ia deixar ele me passar e assim sacrificar minha própria volta, de jeito nenhum. Ele acredita que é Deus, mas não é. Ele veio após a classificação e riu na minha cara, muito desrespeitoso. Não vejo a hora de ele se aposentar”, disparou.
 
Quase duas semanas depois, na entrevista coletiva do GP de Singapura nesta quinta-feira (13), K-Mag foi perguntado sobre seu objetivo para o fim de semana em Marina Bay. A resposta do dinamarquês não esteve atrelada aos resultados, como é de costume. “Me manter o mais longe possível de Fernando”, declarou o piloto, reforçando que o ocorrido na Itália foi um caso isolado.
Tudo o que Magnussen não quer para Singapura é estar perto de Alonso de novo (Foto: Reprodução)
“O que aconteceu em Monza foi algo excepcional, não é algo que vai acontecer normalmente”, disse o piloto, esperançoso.
 
Magnussen chega a uma marca importante neste fim de semana. Em sua quarta temporada, o piloto vai disputar seu GP 75 na F1. Mais do que o número em si, Kevin se diz muito satisfeito com a performance que vem conquistando ao longo do ano com a Haas.
 
“Não sabia que já se vão 75 corridas. Estou curtindo. Este ano é o melhor na F1 no momento. Está muito divertido. Vamos ver como vai ser este fim de semana”, afirmou o piloto, oitavo colocado no Mundial de Pilotos com 49 pontos.
 
Por fim, o piloto foi questionado sobre a ideia de as equipes de ponta da F1 contarem com três carros no grid. Por um lado, Magnussen concordou, mas por outro, entende que o grid ficaria cheio demais. “Me parece bem legal. Seria bom ter três Ferrari ou Mercedes, mas não sei se seria bom ter 30 carros no grid, o pit-lane ficaria muito curto para nós”, finalizou.