F1
26/10/2017 17:33

Mais orgulho por Senna, mais foco em Verstappen e mais família: como Hamilton vai abraçando o tetra

Lewis Hamilton só precisa chegar em quinto no GP do México para ser tetracampeão mundial de F1. Nos dias prévios à corrida, ele comenta sobre sua postura, seus recordes e até sobre as polêmicas do momento na categoria
Warm Up, do Hermanos Rodríguez / FELIPE NORONHA, de São Paulo / EVELYN GUIMARÃES, do Hermanos Rodríguez
 Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)

Possivelmente a três dias de se tornar tetracampeão mundial de F1, Lewis Hamilton parece tranquilo. Durante a entrevista coletiva que concedeu nesta quinta-feira (26), no México, falou sobre amernidades, sobre polêmcia, sobre ídolos, sempre com parcimônia, sem alterar o tom,. À vontade, dando a impressão de que sabe o que está por vir, que dificilmente o título escapa de estar em suas mãos já no domingo.

Na temporada em que quebrou o recorde de poles de Ayrton Senna, seu ídolo, Hamilton também pode superar o número de títulos do brasileiro. Então, claro que algum jornalista perguntaria ao piloto se ele se considera acima de Senna, se já acha que ultrapassou o ídolo como piloto. Hamilton, então, não iria fugir da postura respeitosa que sempre demonstrou em relação a quem tanto admira.

"Não (acha que é melhor). Tem se falado muito nisso, e eu acho que se ele tivesse continuado a correr em condições seguras ele teria vencido mais campeonato. Não penso em ter mais vitórias ou campeonatos do que ele, e sim fico feliz em ter meu nome ligado ao dele, muito orgulhoso e é isso", disse o britânico.
Lewis Hamilton recebeu um capacete de Ayrton Senna quando conquistou sua 65ª pole (Foto: AFP)
Ele também rememorou sua fase jovem, sobre como hoje, aos 32 anos, olha para trás e sabe que amadureceu, que é diferente, que pensa de outra forma. E, ao lembrar disso, abordou toda a polêmica que envolve Max Verstappen no momento, por suas declarações atacando a F1 e a punição que levou em Austin.

E deu dicas ao holandês: "Acho que ele faz o que todos nós fizemos quando tínhamos 18 anos. Acho que quando ele tiver 30 vai dizer coisas diferentes. O que é bom sobre isso é que colocou os holofotes sobre ele e  vai aprender com seus erros."

Mas conseguiu dar uma pitada de provocação ao piloto da Red Bull: "Se ele sentir que são erros, claro."
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
A mãe de Hamilton, Carmen, está viajando com o filho há duas semanas. E um dos motivos, é claro, é a chance de título. "Mais família", ele quer quem ama por perto nessa hora de glória.

"Nesse final de semana minha mãe está aqui, ela viaja comigo desde a semana passada. Ela sempre quis vir para o México. Meu irmão teve que voltar para algum lugar, mas ele pode vir ainda. Meu pai e minha madrasta talvez venham. Tenho meus amigos mais próximos por aqui também", contou.

Seu plano é, portanto, curtir a corrida e o momento, como vem fazendo há algum tempo: "Eu venho curtindo o momento desde a última corrida. Gostei tanto de correr que só quero manter isso para esse final de semana. Não gosto de criar expectativas para não perder o foco", completou.

Hamilton evita falar sobre título, diz que não se empolga nem pensa muito nisso, mas soube construir uma situação agradável a sua volta para, quando a conquista chegar, ele abraçá-la. No domingo, isso provavelmente ocorrerá.

O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO, em TEMPO REAL e ‘in loco’, com a jornalista Evelyn Guimarães, todo o fim de semana do GP do México de F1 no Autódromo Hermanos Rodríguez.
VIGIAR E PUNIR

COM GALID OSMAN, PADDOCK GP #101 QUESTIONA: VERSTAPPEN MERECEU PUNIÇÃO EM AUSTIN?