Maldonado atribui mau desempenho em 2013 a relação ruim com carro da Williams: "Me sinto muito lento"

Venezuelano comparou seu estilo arrojado ao de seu companheiro de equipe, Bottas, cuja condução é mais suave, e explicou que o FW35 é mais adequado ao finlandês: "Não estou em posição de fazer o que fiz no último ano por estar limitado pelo carro", afirmou o piloto


Pastor Maldonado não vive um bom momento em 2013. O piloto, que neste ano ainda não marcou pontos e cujo melhor resultado foi um 11º lugar no GP do Bahrein, enfrenta um campeonato muito diferente do de 2012, quando foi pole e vencedor do GP da Espanha, marcou bons pontos e largou várias vezes entre os dez primeiros do grid.
 
Para o venezuelano, no entanto, há uma explicação para a péssima fase dele próprio e de sua equipe: sua má relação com o FW35, carro que a Williams construiu para este ano. 
Maldonado não se deu bem com o FW35 (Foto: Charles Coates/LAT Photographic)
De acordo com Maldonado, o modelo não beneficia sua pilotagem mais arrojada. Em contrapartida, favorece a maneira de Valtteri Bottas conduzir – o que justificaria o terceiro lugar no grid que o finlandês conquistou no GP do Canadá, sendo até aqui o melhor desempenho geral da equipe de Grove em 2013.
 
"Temos diferentes estilos de pilotagem, ele guia com mais suavidade e é muito bom com o carro. Este não é o meu jeito", afirmou Pastor em entrevista ao site da revista 'Autosport'. "Meu jeito é colocar mais energia no carro e é assim que fui rápido no ano passado."
 
"Me sinto muito lento, porque não estou em posição de fazer o que fiz no último ano por estar limitado pelo carro. Precisamos eliminar as diferenças entre ambas as partes."
 
"O carro é muito fácil de guiar se você está lento, se você não é arrojado. Mas para o meu estilo, preciso tirar o máximo do carro. Quando eu tento fazer isso do meu jeito, não funciona. O caro é previsível, mas temos problema em fazer a frente trabalhar com a traseira", encerrou o venezuelano.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube