Maldonado encara jejum de pontos como aprendizado e foca em reação na segunda parte da temporada

Pastor Maldonado deixou claro que está bastante insatisfeito com sua fase e quer logo voltar a pontuar no Mundial de F1 em 2012. A meta do venezuelano é reagir e ter, nas corridas, o mesmo ritmo obtido nas classificações

A temporada 2012 de Pastor Maldonado tem duas fases completamente distintas. A primeira, entre os GPs da Austrália e da Espanha, o venezuelano da Williams figurou como um dos grandes destaques do ano, alcançando boas performances e, principalmente, pela épica vitória celebrada em Barcelona. Mas depois do resultado improvável na Catalunha, Pastor atravessou uma queda de rendimento bastante íngreme e se envolveu em muitas polêmicas na pista, colecionando desafetos e punições. Desde sua vitória na Espanha, Maldonado não marca mais pontos.

As férias de verão na Europa vieram mesmo em boa hora para o venezuelano, que tem quatro semanas de pausa entre os GPs da Hungria e da Bélgica, 12ª etapa do Mundial de F1, no começo de setembro. A meta de Maldonado é, antes de tudo, reagir e voltar a marcar pontos. Para o piloto, a seca de boas corridas faz parte do aprendizado e serve como motivação para seu crescimento nas pistas.

Tudo o que Maldonado quer na segunda parte da temporada é reagir (Foto: Williams F1/LAT Photographic)

“Ainda faltam nove corridas, o que é bastante, então temos tempo para reagir. Vou fazer meu melhor na segunda parte da temporada para recuperar o que perdi e jamais vou recuar”, comentou Pastor durante entrevista ao site da revista britânica ‘Autosport’.

Com 29 pontos em 11 corridas, Maldonado tem apenas cinco a mais que seu companheiro de equipe, Bruno Senna. Apesar de o brasileiro ter passado longe da vitória, sua performance mais regular em relação ao venezuelano tem sido alvo de elogios dentro da cúpula da Williams.

Sentindo a necessidade imediata de reação, Pastor deixa claro que o jejum de pontos incomoda e por isso quer virar o jogo no começo da segunda parte do Mundial. “Precisamos de mais pontos e precisamos melhorar e aprender com os erros. Cada vez que vou à pista, tento aprender e melhorar constantemente. Esse é meu foco.”

O pupilo de Hugo Chávez quer ter nas corridas o mesmo bom rendimento obtido nas classificações. Nas 11 primeiras corridas da temporada, Maldonado foi ao Q3 em seis oportunidades, tendo como melhor grid a pole do GP da Espanha. “Por vários motivos, não conseguimos marcar nenhum ponto desde Barcelona. Mas as corridas são assim. A classificação tem sido boa”, avaliou.

Por fim, o sul-americano entende que as críticas sofridas pelas últimas performances no Mundial, muito por conta dos incidentes com Sergio Pérez, Pedro de la Rosa, Lewis Hamilton e Paul di Resta, são normais, mas não o abalam. “Não estava querendo bons comentários das pessoas sobre isso. Quando você faz tudo bem, você tem todos à sua volta de uma boa maneira, e quando você vai mal, você tem todos à sua volta, mas de uma maneira ruim”, concluiu Pastor.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube