F1

Mallya se diz aberto a mudar nome da equipe com possível acordo com Aston Martin: “Force India atingiu objetivo”

Dono da Force India, Vijay Mallya disse que batizou como Force India sua equipe em 2008 porque queria aproximar a F1 do povo de seu país. Hoje o dirigente acredita que o objetivo foi cumprido, por isso ele abriria mão tranquilamente do nome na próxima temporada caso seja de fato concluída a negociação com a Aston Martin

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Dono da Force India, Vijay Mallya confirmou as negociações para firmar uma parceria com a Aston Martin e afirmou que abriria mão tranquilamente do nome que deu à escuderia quando a comprou em 2008.

O magnata indiano disse que escolheu batizar a ex-Spyper, Midland e Jordan como Force India porque queria aproximar a F1 do povo de seu país. Oito temporadas depois, ele está certo de que este objetivo foi cumprido. Não só a Force India conseguiu resultados dignos neste período, incluindo três pódios, como também o GP da Índia foi disputado três vezes entre 2011 e 2013.
Ficaria assim uma eventual Force India-Aston Martin? (Arte: Rodrigo Berton)
"Por favor, entenda o porquê de o nome ser Sahara Force India. Sahara é porque eles fizeram um investimento significativo e se tornaram parceiros ad equipe. Force India foi algo que fiz quando comprei a equipe, que eu poderia facilmente ter batizado como Mallya F1, Kingfisher F1 ou qualquer outra coisa. Escolhi Force India porque queria atender às aspirações dos entusiastas do automobilismo na Índia que jamais poderiam ter sonhado que haveria uma equipe indiana no grid", afirmou Mallya à revista inglesa 'Autosport', que foi quem revelou o iminente acordo com a Aston.

"Agora já faz tempo que a F1 deixou de estar fora de alcance. Esse era o objetivo e o objetivo foi atingido. Atingimos esse objetivo nestes oito anos", continuou.

Mallya disse também que a associação à Aston Martin tornará a escuderia mais atraente a investidores.

"É uma das mais famosas marcas britânicas. É uma marca de luxo, vai atrair mais patrocinadores e tornar o que hoje é a Force India muito mais vendável. É disso que estou falando. Vai trazer esse algo a mais", completou.