Marko defende Vettel e afirma que Ferrari “complica demais as coisas”

Consultor da Red Bull, Helmut Marko deu também seu veredito sobre a polêmica estratégia da Ferrari no GP da Rússia, e disse que a equipe se complica demais ao assumir táticas demais e ao tentar coordenar as ações de seus pilotos

A controversa estratégia adotada pela Ferrari no GP da Rússia ainda repercute no paddock da Fórmula 1. Agora foi a vez de consultor da Red Bull, Helmut Marko, analisar o assunto. Para o austríaco, a própria equipe italiana se colocou em uma situação complicada ao impor táticas demais no início da corrida, quando pediu que Sebastian Vettel deixasse Charles Leclerc passar após as primeiras voltas.
 
A etapa russa ficou marcada por queixas de Leclerc quanto ao comportamento de Vettel, depois da largada. De acordo com a estratégia ferrarista, o jovem monegasco, que saía da pole-position, deveria dar o vácuo ao companheiro de equipe, com a intenção de anular qualquer avanço de Lewis Hamilton, que partia da segunda colocação do grid. O tetracampeão usou bem o recurso e conseguiu não só superar o piloto da Mercedes, como também o colega de time.
 
Só que Sebastian, segundo um acordo pré-corrida feito entre a dupla e a cúpula da Ferrari, deveria devolver a posição a Leclerc, o que acabou não acontecendo. Vettel se pôs mais rápido e não deu chances a Charles, que passou a cobrar a equipe no rádio. A escuderia, então, promoveu a troca nos pits. Vettel, no entanto, abandonou o GP russo, depois de uma falha de motor, quando já estava atrás do parceiro. A quebra do carro #5 ainda provocou um safety-car virtual, o que deu à Mercedes a chance de vencer. 
Hekmut Marko e Sebastian Vettel (Foto: Reprodução)
Falando à TV alemã RTL, Marko criticou a tentativa da Ferrari de coordenar as ações de seus pilotos em Sóchi. "Acho que foi errado concordar com essa estratégia no início", disse o conselheiro da Red Bull, acrescentando que a Ferrari não precisava se esforçar tanto para ajudar Vettel a ultrapassar Hamilton.
 
"Antes de tudo, a Mercedes tinha pneus mais duros e se Hamilton tivesse largado melhor, nada disso tinha acontecido. Não se deve complicar demais as coisas. O mais rápido deve apenas manter a liderança e depois resolver o que fazer", completou.
 
O tetracampeão da Ferrari também tomou uma atitude semelhante na época em que defendia a Red Bull. Seb desobedeceu a uma ordem da equipe em 2013. Lembrando o famoso episódio do 'Multi 21', Marko revelou que a esquadra taurina vivia em conflito para lidar com a rivalidade entre Vettel e Mark Webber. "O caso de Seb e Mark era oposto, uma vez que Webber era o piloto mais experiente, enquanto Sebastian era o mais novo. E, sim, nós tivemos os nossos problemas. Conseguimos resolver alguns ao longo do caminho, mas não foi fácil", contou.
 
O consultor ainda disse que chegou a conversar com Vettel e que o vê mais tranquilo diante da situação. "Mas isso tudo faz parte da Ferrari: as emoções sempre vêm à tona e se espalham mais do que em outras equipes."
 
"Ele vai resolver isso e vai dar a resposta na pista, como fez na Rússia. Ele foi mais rápido que Leclerc na corrida, embora não tenha sido em classificação. Mas com a direção que o desenvolvimento do carro tomou, ele parece estar se saindo melhor. Ninguém pode menosprezar Vettel", concluiu.
 

A programação do GP do Japão vai ser retomada em Suzuka às 10h de domingo (22h de sábado no horário de Brasília) com a disputa do treino classificatório. A largada da 17ª etapa da temporada 2019 está marcada para 2h10 (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.
 

Paddockast #37
GRANDES RIVALIDADES INTERNAS 

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube