carregando
F1

Marko diz que F1 tem plano de emergência para ajudar equipes durante pandemia

Helmut Marko, consultor da Red Bull, está tranquilo a respeito da saúde financeira das equipes durante a pandemia do coronavírus. O dirigente revelou plano de apoio milionário da F1 às escuderias, que “não estão em risco”

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
Helmut Marko, consultor da Red Bull, acompanha de perto o desenrolar dos efeitos do coronavírus sobre a Fórmula 1. O dirigente já falou abertamente que a pandemia tem potencial de causar prejuízos milionários tanto sobre a categoria quanto sobre as dez equipes do grid. Só que não há motivo para pânico: Marko revela a existência de um plano emergencial para assegurar a sobrevivência das escuderias.
 
“Há um plano de emergência que ajuda as equipes com milhões de dólares”, disse Marko, entrevistado pelo jornal austríaco ‘Kleine Zeitung’. “Com isso, a gente deve fazer as contas fecharem em um período sem receita, mesmo para as equipes pequenas. A Fórmula 1 tomou decisões muito inteligentes”, destacou.
A Fórmula 1 se prepara para enfrentar o coronavírus (Foto: Pirelli)
Além do plano emergência, não detalhado por Marko, a F1 tomou outras medidas para amenizar os golpes da pandemia.
 
“O novo regulamento agora começa a valer em 2022. Isso nos poupa de fazer um trabalho dobrado, desenvolvendo o carro atual e o próximo. Testes também foram cancelados. Nós somos capazes de fazer tudo dentro de um orçamento, então acho que nenhuma equipe está em risco”, seguiu Marko.
 
A previsão mais otimista é de que a Fórmula 1 só comece a voltar ao normal em junho. Depois de seis adiamentos e dois cancelamentos, a temporada agora deve começar com o GP do Canadá. A categoria ainda acredita em realizar entre 15 e 18 GPs ao longo do segundo semestre.