F1

Massa admite decepção com oitavo lugar no Bahrein e culpa estratégia de duas paradas da Williams: “Não funcionou”

O GP do Bahrein deste domingo (3) parecia extremamente promissor na primeira volta para Felipe Massa, que se aproveitou da ausência de Sebastian Vettel no grid e um toque entre Valtteri Bottas e Lewis Hamilton para pular para o segundo pouco. Mas durou pouco e ele acabou longe

Warm Up / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro

O dia começou dando pinta de que podia ser memorável para Felipe Massa. E, verdade seja dita, Massa começou o ano guiando bem, mas a realidade da Williams é diferente neste momento. Estratégia não é o forte do time de Grove, e isso pesa. No GP do Bahrein deste domingo (3), Massa terminou em oitavo e com um gosto amargo na boca.
 
Quando largou, Massa se valeu do espaço que tinha sido deixado por Sebastian Vettel - que nem largou, culpa de um problema no motor Ferrari - e se garantiu na frente de Daniel Ricciardo e Kimi Räikkönen. Se na Austrália, as Ferrari deram show na largada, agora seriam as Williams. Mas Valtteri Bottas se precipitou e tocou Lewis Hamilton. Foi bom para Massa, porém.
Felipe Massa no Bahrein (Foto: Getty Images)
Felipe estava, então, com a segunda colocação. O que fazer? A estratégia de duas paradas e passar a vida com pneus médios não deu lá muito certo. Embora mostrasse alguns bons momentos, Massa acabou sendo ultrapassado sem parar. Só Romain Grosjean passou por ele três vezes, algo que o veterano não tinha muito como evitar.
 
No fim das contas, Massa ficou atrás das Mercedes, de Räikkönen, das Red Bull, de Grosjean e de Max Verstappen. O oitavo lugar foi um par com o nono de Bottas, mas mais uma escolha equivocada da Williams.

Após a prova, Massa afirmou que realmente saiu decepcionado coma estratégia não funcionando como era esperado. O ritmo da Williams com os compostos macios simplesmente não era bom.

"Tive uma largada muito boa, indo de sétimo para segundo, mas infelizmente a estratégia de duas paradas não funcionou como esperado e nosso ritmo com pneus médios não era muito bom. Isso permitiu que outros que estava com pneus mais macios nos passassem e ficassem na frente", disse.

"Começamos o final de semana esperando mais, então é um resultado decepcionante. Espero que possamos aprender um pouco mais e melhorar na China", finalizou.
 
A F1 volta em duas semanas, 17 de abril, para o GP da China. Nos últimos dois anos foi Lewis Hamilton quem venceu por lá. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e EM TEMPO REAL.
 
VEJA A EDIÇÃO #22 DO PADDOCK GP, COM PRÉVIAS DA F1, MOTOGP, INDY E F-E