Massa cobra e diz que Williams precisa entender rendimento “desastroso” dos pneus macios em Spa

Felipe Massa voltou a analisar a perda de rendimento da Williams com os pneus macios em Spa-Francorchamps, na corrida realizada no último domingo (23), e disse que a equipe inglesa precisa entender a razão da má performance com os compostos amarelos

O QUE É O GRANDE PREMIUM

Colabore com o novo projeto e ganhe uma camiseta da Red Bull da F1

determinarTipoPlayer(“15583895”, “2”, “0”);

Felipe Massa afirmou que a Williams precisa entender o comportamento dos pneus depois dos problemas enfrentados no GP da Bélgica, na etapa disputada no último domingo (23). Tanto o brasileiro quanto Valtteri Bottas não conseguiram tirar um melhor desempenho dos compostos macios na corrida em Spa-Francorchamps. E acabaram perdendo rendimento na primeira parte da prova.

Os dois pilotos só tiveram maior velocidade depois da mudança para os pneus médios, a versão mais dura da Pirelli para o final de semana belga. A partir daí, Massa assegurou a sexta colocação, enquanto Bottas entrou no top-10, mesmo prejudicado pelo drive-through que precisou cumprir depois da confusão da equipe inglesa em seu primeiro pit-stop.

Felipe Massa reclamou dos pneus médios em Spa-Francorchamps (Foto: Williams F1)

"Não estou feliz porque acho que as primeiras dez voltas da prova foram um desastre para nós", afirmou Felipe. "O começo não foi bom, mas também o ritmo com os pneus macios foi um desastre, perdemos muitas posições com ambos os carros. Foi muito difícil", completou.

"Tenho certeza que, por causa desses problemas no início, nós acabamos pagando o preço no fim da corrida. Não estou contente, porque a corrida poderia ter tido um resultado completamente diferente para nós", acrescentou o dono do carro #19.

Massa, entretanto, não vê na dificuldade com os pneus em Spa uma tendência, embora a equipe também tenha encontrado contratempos com os compostos no GP da Hungria, realizado no mês passado. "Eu acho que Hungaroring, definitivamente, não é uma pista para nós", explicou.

"Antes daquela corrida, nós fizemos um grande trabalho. E o problema que enfrentamos agora foram os pneus nesta pista [Spa], então precisamos entender por que o pneu não funcionou e tentar fazer com que funcione daqui para frente, seja lá que tipo de pneus teremos até o fim do ano", emendou Felipe.

Em relação à próxima corrida, em Monza, o piloto de 34 anos se mostrou mais confiante. "Nós temos grandes expectativas para Monza, uma pista fantástica. E vamos tentar fazer o melhor pudermos por lá. No ano passado, eu terminei no pódio, então espero conseguir algo parecido agora", encerrou.

determinarTipoPlayer(“15585606”, “2”, “0”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube