Massa critica Ferrari e diz que perdeu confiança por equipe dar mais importância ao que Alonso dizia

Falando sobre o início de seu segundo ano de Williams, Felipe Massa voltou os olhos para a antiga equipe e não deixou de criticar o ambiente na Ferrari. O brasileiro admitiu que perdeu a confiança no time por conta da importância que a esquadra vermelha dava para Fernando Alonso

Não é de hoje que Felipe Massa sente que a decisão de assinar com a Williams foi acertada, depois de ter sido dispensado pela Ferrari no fim de 2013. O piloto permaneceu na equipe italiana durante oito temporadas, foi vice-campeão em 2008, mas viveu também um período de altos e baixos e contratempos com o companheiro Fernando Alonso. No fim, a falta de resultados acabou provocou sua saída do time. Sem demora, o brasileiro fechou com a esquadra inglesa, que agora atravessa uma fase de renascimento na F1, depois do ano competitivo em 2014.

Indo para o segundo ano na escuderia de Grove, Massa concordou que a parceria com os ingleses representou um novo sopro de vida, falou em respeito e confiança e ainda deu uma leve alfinetada na antiga empregadora. "Definitivamente foi", disse Felipe ao ser perguntado pelo site oficial da F1 se vive de fato uma nova fase na carreira.

Felipe Massa disse que perdeu a confiança na Ferrari (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)

"Quando você está trabalhando em uma equipe, você precisa de plena confiança e respeito. Quando você está em um time em que é mais importante o que o outro piloto diz, então você perde a confiança, e isso significa que você não está mais no caminho certo", completou o brasileiro.

"Você trabalha com detalhes e, se você perde talvez um ou dois detalhes, acaba perdendo facilmente também dois ou três décimos. E é por isso que você não consegue crescer se permanecer onde está. Acho que isso não é positivo", acrescentou o piloto da Williams.

Massa, então, traça o paralelo com o momento em que vive na Williams. "Quando você vai para uma equipe e eles te dão tudo que você precisa e fazem tudo o que você diz para melhorar, então você acredita que essa equipe tem dois pilotos. Eles gastam um bom dinheiro para pagar os pilotos e sabem que é preciso respeitar e fazer o que os pilotos dizem."

"Quando isso funciona adequadamente, os resultados aparecem e não apenas para um dos pilotos, mas para toda a equipe, que é o que conta no final", declarou. Felipe também avaliou as mudanças feitas pela Ferrari para a temporada 2015.

Para o brasileiro, a esquadra vermelha acertou a contratar Sebastian Vettel, mas disse por outro lado que a perda de Alonso não é uma vantagem. "Acho que Fernando tentou sair da equipe dois ou três anos atrás, quando eu ainda estava na equipe, mas não pôde. Acredito que no ano passado o carro não era tão bom, os resultados não apareceram, mas ele continuou lutando, continuou tentando mudar a equipe, mas a Ferrari já estava mudando completamente e decidiram até mesmo mudar Alonso."

"É um novo time agora, mas nunca se deve fechar os olhos para eles. Sebastian sabe como ganhar, já venceu muitos campeonatos, e acho que Kimi Räikkönen vai andar melhor sem Fernando na equipe. Então, talvez o time será melhor. Mas eles estão perdendo um piloto fantástico com Alonso. Ele é rápido e sabe como somar uma grande quantidade de pontos ao longo do campeonato. Vamos ter de esperar e ver se isso será bom ou ruim", finalizou.

PARECE, MAS NÃO É

Jenson Button ainda não teve um dia decente de testes nesta pré-temporada, sendo sempre atrapalhado pelos problemas mecânicos do carro da McLaren, mas demonstra confiança ao afirmar que a situação do time “parece pior do que é”. Button, que está na F1 há 16 temporadas, diz que esta nem é sua pior pré-temporada. Ele destacou que teve começos ruins na própria McLaren e que os contratempos foram contornados. Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube