Massa deixa abandono precoce em Montreal no passado e mira voltar à zona de pontos na “pista única” de Baku

Na primeira vez do circuito de rua de Baku, capital do Azerbaijão, como palco da F1, Felipe Massa terminou em décimo lugar, enquanto Valtteri Bottas fechou em sexto. Na esteira do bom resultado da Williams em 2016, o brasileiro acredita que é possível repetir a performance no Azerbaijão neste fim de semana

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Quase duas semanas depois de uma corrida que só durou alguns segundos no Canadá, Felipe Massa segue para o Azerbaijão com a expectativa de voltar a somar pontos na temporada 2017 do Mundial de F1. O brasileiro acredita que o bom desempenho exibido pela Williams em Baku no ano passado credencia a equipe a pelo menos sonhar com bons pontos neste fim de semana, válido pela oitava etapa do campeonato.

 
Massa destacou as características singulares do traçado azeri. Apesar de ser um circuito urbano e contar com muitas curvas bem lentas, Baku também compreende trechos tão rápidos que o tornam a pista de rua mais rápida do mundo. Outra característica é o asfalto liso, muito semelhante com o de Sóchi, palco do GP da Rússia.
 
Segundo a prévia divulgada pela Williams, as velocidades máximas podem alcançar os 370 km/h, embora a Williams tenha registrado um pouco mais: 378 km/h. O circuito, percorrido em circuito anti-horário, é bastante longo: 6.003 m de extensão. O destaque é para o trecho de reta, que chega a um total de 2,2 km. A volta mais rápida do ano passado foi registrada por Nico Rosberg, que venceu a prova: 1min46s485.
Massa espera dar a volta por cima no Azerbaijão depois do abandono precoce no Canadá (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
“Estou muito ansioso para voltar a um país tão agradável e a uma pista única, que está no coração da cidade. Há uma série de curvas de 90º e um setor de pé embaixo a partir da curva 16 que segue por toda a longa reta até à curva 1, onde alcançamos algumas velocidades muito altas”, destacou Massa.
 
“Marcamos pontos com os dois carros no ano passado e, depois do meu abandono precoce no GP do Canadá, espero que possamos ter outro resultado forte e somar alguns bons pontos”, complementou o veterano.
 
Para o fim de semana do GP do Azerbaijão, Massa vai usar a seguinte combinação de pneus: dois jogos de pneus médios, três de macios e oito de supermacios, os mais rápidos da etapa.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Paddy Lowe, responsável pela direção-técnica da Williams, entende que, com mais informações depois do ano de estreia de Baku no Mundial no ano passado, a tendência é que os trabalhos possam fluir melhor neste fim de semana.

 
“Foi uma empolgante primeira corrida no Azerbaijão no ano passado, e agora nós entendemos o circuito e podemos voltar mais preparados para um segundo GP. O circuito de Baku tem algumas semelhanças com o Canadá em termos de acerto e características, então esperamos ver um nível de performance semelhante do FW40. É uma das corridas mais quentes do ano, com o recorde de temperatura neste mês sendo de 39ºC, então isso vai exigir resistência dos dois pilotos e da equipe para obtermos o máximo de desempenho”, declarou o engenheiro.
O CANADÁ É PARA HAMILTON O QUE MÔNACO FOI PARA SENNA?

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube