Massa fala em dia complicado em Interlagos com falta de aderência da pista e “carro que não parava na pista”

Felipe Massa descreveu como difícil o primeiro dia de atividades de pista em Interlagos. Dono do décimo melhor tempo da sexta-feira em São Paulo, o piloto da Williams reportou problemas no equilíbrio do FW37, sobretudo da parte traseira: “Ainda tem muito chão pela frente”, lembrou

O primeiro dia de treinos livres visando o GP do Brasil não foi lá muito favorável à Williams. Batida pela Red Bull tanto no primeiro quanto no segundo treino desta sexta-feira (13) em Interlagos, a equipe britânica teve de lidar com a falta de equilíbrio do FW37 no circuito paulistano. Pior para Felipe Massa, que teve mais dificuldades com a falta de aderência e também com as escapadas de traseira do seu carro, um pouco menos com os pneus macios, mas algo que foi potencializado com os compostos médios.

No treino da manhã, Massa terminou apenas em 17º lugar, enquanto Valtteri Bottas ficou dez posições à frente. À tarde, o brasileiro anotou o décimo melhor tempo, mas muito longe do esperado. Reflexos de um dia pra lá de difícil para a Williams.
Felipe Massa (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Foi um dia complicado hoje. Primeiro, que tive um pouco de problema na primeira sessão, onde o carro não parava na pista. Na segunda sessão, conseguimos melhorar um pouco, principalmente com pneu macio. Mas ainda tem muito chão pela frente, a pista estava muito escorregadia hoje e nosso carro sofreu muito, principalmente o meu… então é trabalhar para amanhã”, declarou Felipe em entrevista coletiva logo após o segundo treino livre nesta tarde em Interlagos.
 
“Sem dúvida não foi um bom dia. Um pouco melhor do meio para o fim, mas até a pista começar a pegar um pouco de grip, a gente sofreu demais”, avaliou Massa, que ressaltou o ponto fraco até o momento para a equipe. 
 
“Totalmente ligado à traseira do carro, que não parava no chão. A gente tem de fazer muito para acertar. Temos chão pela frente para tentar corrigir, temos de colocar uma traseira mais estável. O pneu desgasta demais, não só para a gente, mas como para outras equipes”, acrescentou.
 
No fim das contas, a perspectiva de Massa para a sequência de mais uma corrida em casa não é das mais favoráveis. “Não vai ser uma corrida fácil por causa dos pneus. Ajustar o carro para conservar bem os pneus vai ser a chave”, finalizou.

O GRANDE PRÊMIO acompanha o GP do Brasil com grande cobertura 'in loco' com Flavio Gomes, Evelyn Guimarães, Fernando Silva e Rodrigo Berton. Acompanhe aqui.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube