Massa se vê em condições de manter vaga na Williams em 2018, mas reflete: “Talvez o talento não seja decisivo”

Felipe Massa acredita que tem o que precisa para seguir na F1 em 2018 – e também que a própria Williams percebe isso. Acontece que o próprio brasileiro já admite que talento não deve ser o único fator considerado pela equipe britânica

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }


google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Ainda sem contrato para a temporada 2018 da F1, Felipe Massa não tem muito que fazer além de esperar uma definição da Williams. O brasileiro tem sua vaga ameaçada por pilotos como Paul Di Resta e Robert Kubica, mas torce para que a equipe britânica lhe dê a oportunidade de continuar por mais um ano. Mas existe um porém: o brasileiro já admite que talento pode não ser o único fator considerado pela chefia.
 
“Eles me conhecem bem e sabem que o posso entregar”, disse Massa, entrevistado pela TV britânica ‘Sky Sports F1’. “Tenho certeza de que a maior parte da equipe está do meu lado, principalmente engenheiros e pessoas que entendem de automobilismo. Mas no fim das contas existem algumas outras coisas e talvez o talento não seja decisivo”, ponderou.
Felipe Massa ainda não sabe se vai renovar com a Williams (Foto: Williams)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Já não é segredo que Lawrence Stroll, pai de Lance, tem grande influencia sobre as decisões da Williams. Relatos indicam que o empresário, que já foi responsável por cancelar um teste de Kubica com um carro de 2014, trabalha nos bastidores para encontrar o companheiro de equipe ideal para o filho.
 
Mesmo com o risco real de ficar sem vaga na F1, Massa descarta preocupação. “Estou tranquilo. Sei o que posso fazer e estou totalmente motivado para continuar. Se eu estiver aqui no próximo ano, vou dar meu melhor para a equipe. Se não estiver, vou ficar tranquilo e encontrar um novo rumo”, comentou o piloto, que jamais escondeu o interesse em integrar um dia o grid da F-E.
 
A única coisa que o brasileiro cobra é uma definição da Williams antes do fim da temporada da F1. “Não vou esperar até dezembro. Não tenho um cronograma, mas espero que [a definição] seja nas próximas semanas. Não quero ir para as últimas duas corridas sem saber sobre meu futuro”, encerrou.
 

GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da F1 na Malásia AO VIVO e em TEMPO REAL, com livetiming e gráfico interativo.

#GALERIA(7197)

TORO ROSSO DEMOROU DEMAIS

REBAIXAMENTO SEGUIDO DE AFASTAMENTO DE KVYAT É TUDO, MENOS INJUSTO  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube