Verstappen leva multa de R$ 312 mil por tocar e mexer em carro de Hamilton em SP

Max Verstappen sofreu uma punição leve por ter tocado e mexido na asa traseira da Mercedes de Lewis Hamilton depois da classificação do GP de São Paulo

Vídeo de Frederico Monteiro ajudou a FIA a definir punição a Verstappen em forma de multa (Vídeo: Frederico Monteiro/Twitter)

Parte da indefinição sobre a polêmica deflagrada depois da classificação do GP de São Paulo foi resolvida. Max Verstappen escapou apenas com multa, de € 50 mil (ou R$ 312 mil), em decisão tomada pelos comissários técnicos da Fórmula 1 pouco depois do treino livre 2, neste sábado (12), após o holandês ter tocado na asa traseira da Mercedes de Lewis Hamilton depois da sessão da tarde da última sexta-feira em Interlagos.

Até então, Verstappen vivia uma tarde tranquila em Interlagos. Mesmo tendo classificado em segundo na sessão gelada da última sexta-feira, o líder do campeonato sabia que para domingo sua situação seria muito mais confortável em relação ao confronto com Lewis Hamilton, já que o britânico vai perder, de qualquer forma, cinco posições no grid pelo fato de a Mercedes ter trocado o motor de combustão interna.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

MAX VERSTAPPEN; RED BULL; GP DE SÃO PAULO; INTERLAGOS; F1; GRANDE PRÊMIO;
Max Verstappen escapou com apenas multa em Interlagos (Foto: Lars Baron/Getty Images/Red Bull Content Pool)

Só que uma ação aparentemente inocente colocou Max no olho do furacão e no balaio junto com Hamilton. Um dos vídeos, revelado por Frederico Monteiro, seguidor do GRANDE PRÊMIO, mostra que Verstappen tocou na asa traseira do Mercedes W12 de Hamilton logo depois da classificação. Uma vez que os carros estão em regime de parque fechado, qualquer ação nesse aspecto é ilegal.

Outra imagem, revelada por um internauta — que preferiu não se identificar — ao jornalista Fabio Seixas mostra que Verstappen mexeu por duas vezes na peça traseira do W12.

A FIA reagiu à ação de Verstappen e o chamou à torre de controle para se reunir com os comissários técnicos, em encontro que durou menos de 15 minutos, às 9h30 deste sábado. Depois, representantes da Mercedes estiveram por quase 1 hora para explicar as supostas irregularidades no sistema de DRS do carro de Hamilton e também defenderam que Verstappen deveria ter sido punido.

A alegação da Mercedes, segundo contam Helmut Marko e Christian Horner, consultor e chefe da Red Bull, respectivamente, é que Verstappen avariou a asa traseira do carro de Hamilton. A teoria foi considerada “assombrosa” pelo dirigente britânico, que rejeitou qualquer possibilidade de o piloto ter agido de forma intencional.

Segundo documento publicado às 13h33 (horário de Brasília), os comissários analisaram também o vídeo de um fã, localizado do outro lado da pista, além de imagens de câmeras onboard dos carros 14, de Fernando Alonso, de Lewis Hamilton, de Valtteri Bottas e do próprio Verstappen. As imagens deixaram claro o ocorrido.

Os comissários entenderam também que se tornou um hábito dos pilotos tocar nos carros depois da classificação e das corridas. E que essa foi também a explicação de Verstappen, que foi um simples hábito de tocar na área do carro de Hamilton, que tem sido alvo de especulações nas últimas corridas e também de farpas entre Mercedes e Red Bull. No documento, os comissários entendem que a tendência é de relevar tal episódio. No entanto, tal cenário abre uma brecha que pode provocar problemas maiores quando a regra de parque fechado é violada.

Portanto, de modo a não abrir precedentes, os comissários técnicos da FIA decidiram determinar a punição em forma de multa de € 50 mil para Vertappen.

Depois da decisão sobre Verstappen, é esperado nos próximos minutos um veredito dos comissários técnicos sobre Lewis Hamilton, até porque a corrida sprint da Fórmula 1 em Interlagos está marcada para 16h30 (de Brasília, GMT-3). Só então é que vai ser definido se Hamilton vai manter a primeira posição do grid para a prova ou se Max vai largar na frente e Hamilton, no fim da fila. A sexta-feira 12, portanto, ainda não acabou.

GRANDE PRÊMIO acompanha o GP de São Paulo ‘in loco’ em Interlagos com os jornalistas Fernando Silva e Gabriel Curty, além de toda equipe de maneira remota, e segue todas as atividades de pista do fim de semana AO VIVO e EM TEMPO REAL.

F1 EM SÃO PAULO: HAMILTON SOBRA, MAS PODE FICAR SEM A POLE NA CORRIDA SPRINT | Briefing

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar