F1
04/09/2018 12:52

McLaren assume que perderia Norris para Toro Rosso, mas nega influência em acerto: “Não houve pressão”

Um dia depois de anunciar que Lando Norris será um dos seus pilotos titulares em 2019, ao lado de Carlos Sainz Jr., a McLaren assumiu que sabia que perderia o piloto para outra equipe caso não subisse sue prodígio da F2 para a F1. E para Zak Brown, chefe da equipe, esse time seria a Toro Rosso
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Lando Norris (Foto: McLaren)
A McLaren anunciou na última segunda-feira (4) que Lando Norris será um de seus titulares em 2019, ao lado de Carlos Sainz Jr. E a pressa para subir o jovem de 18 anos, que estreia na F2 nesta temporada, pode ter sido motivada pior ações de outras equipes.

Segundo Zak Brown, chefe da McLaren, o time laranja perderia o britânico para a Toro Rosso caso não fechasse o acordo para que ele esteja na F1 no próximo ano.

"Sabemos que ele teria sido pego por outra equipe. E eu assumo que seria a Toro Rosso. Mas, baseado nos telefonemas que recebi, sei que mais de uma equipe estava interessada nele", afirmou Brown ao 'Autosport'.

Em junho, a segunda equipe da Red Bull tentou o empréstimo de Norris para o lugar de Brendon Hartley para o GP da Áustria, mas a oferta foi rejeitada. 
Lando Norris é o escolhido da McLaren para fechar dupla com Carlos Sainz para 2019 (Foto: F1/Twitter)
Brown, porém, negou que tenha existido pressão para que Norris acertasse rapidamente o contrato com a McLaren em razão das sondagens de rivais.

"Nós sempre focamos em acertar tudo próximo à parada de verão. Então não fomos pressionados por isso, nem tomamos decisões por este motivo", disse.

Atualmente, Norris é companheiro de equipe de Sergio Sette Câmara na Carlin, na F2, e luta pelo título da categoria de acesso à F1 com o compatriota George Russell, apadrinhado do programa de jovens pilotos da Mercedes