McLaren mantém cautela após férias e diz que vitória na Hungria “não deve ser levada em conta”

Jonathan Neale, diretor-técnico da McLaren, não se ilude com a vitória de Lewis Hamilton no GP da Hungria e acredita que a evolução obtida nas últimas corridas do ano, por conta das atualizações, não deve ser levada em conta

Nesta quarta-feira (29), completa-se um mês da vitória acachapante de Lewis Hamilton no GP da Hungria, o último antes da pausa que a F1 fez para as férias de verão. O resultado provou a reação da McLaren, que começou dominante, mas permitiu o avanço de equipes como Red Bull, Ferrari e Lotus, mas reagiu em um momento de virada no campeonato graças às atualizações desenvolvidas em Woking.

Entretanto, Jonathan Neale, diretor-técnico da escuderia britânica, mantém os pés no chão após o belo resultado de um mês atrás. Na opinião do engenheiro britânico, não é possível levar em conta para as próximas corridas o que aconteceu no mês passado, já que a diferença de desempenho entre os ponteiros é muito pequena.

Em uma entrevista veiculada pela McLaren, Neale apostou que o equilíbrio, principal marca da temporada, será a tônica até o GP do Brasil, no dia 25 de novembro.

Neale acredita que desempenho da dupla da McLaren vai melhorar (Foto: McLaren)

“O que acontece durante julho e agosto ainda será refletido [na pista], então vamos ver. Mas, com 0s1 ou 0s2 separando os dez primeiros, ainda está tudo muito apertado. Será incrível acompanhar essa evolução durante o restante da temporada”, disse o britânico, sem se iludir com o bom desempenho dos MP4-27 em Hockenheim e, principalmente, em Budapeste.

“Acho que as atualizações que nós trouxemos para Alemanha e Hungria definitivamente restauraram um degrau de competitividade, mas nós não podemos levar isso em conta”, avaliou Neale. “Então nós temos razões para acreditar que nós fizemos avanços, mas [a corrida na Hungria] foi muito apertada. A temporada é longa e difícil para todo mundo”, emendou.

Por fim, o dirigente elogiou o trabalho da equipe de Woking nos pit-stops. Recentemente, no GP da Alemanha, a McLaren cravou o recorde mundial em uma troca de pneus, com 2s31 para Jenson Button. Neale exaltou o time, que foi duramente criticado em boa parte do Mundial justamente pelas falhas nas paradas de boxes.

“Estou satisfeito com a forma como a equipe de corrida tem se comportado em relação aos pit-stops. É ótimo fazer pit-stops rápidos, mas a consistência é o que importa”, elogiou o britânico.

O Grande Prêmio cobre 'in loco' neste fim de semana a 12ª etapa do Mundial de F1, o GP da Bélgica, direto de Spa-Francorchamps, com Evelyn Guimarães.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube