McLaren sugere pontuação com descarte para retorno da F1 em 2020

Ideia sugerida por Zak Brown, diretor-executivo da McLaren, conta com retorna ao formato abandonado pela Fórmula 1 em 1990. Segundo ele, é uma maneira de evitar que as equipes tenham grandes prejuízos caso não possam correr em alguma etapa

O diretor-executivo da McLaren, Zak Brown, deu uma sugestão para quando a Fórmula 1 for capaz de iniciar o campeonato da temporada 2020, interrompido antes do começo por conta da pandemia do coronavírus: mudar o formato de pontuação. Brown quer ver o retorno do descarte. O motivo? Se alguma equipe precisar evitar alguma etapa por motivos de segurança, poderá fazer sem que fique prejudicada na pontuação geral.
 
O motivo apresentado por parecer estranho, mas a própria McLaren deixou o GP da Austrália antes da confirmação oficial de que não haveria corrida, uma vez que um funcionário da equipe testou positivo para o novo coronavírus. Caso volte a acontecer para um time, mas não para os outros, a F1 poderia seguir em frente sem problemas. 
 
O descarte valeu na F1 entre 1978 e 1990 e teve a própria McLaren como campeã em cinco destes campeonatos: em 1984, 1985, 1988, 1989 e 1990. No campeonato de 1988, por exemplo, apenas os 11 melhores resultados de cada piloto contavam para a disputa do título, apesar das 16 provas naquele ano. Com isso, Ayrton Senna foi campeão sobre Alain Prost por uma diferença de três pontos – descontado o descarte, o francês marcou 11 pontos a mais que o brasileiro.
Carlos Sainz (Foto: McLaren)
"Dado onde estamos agora, precisamos fazer alguns sacrifícios. Falando pela McLaren, se não pudermos correr, faremos exatamente o que fizemos na Austrália e saímos do evento porque temos sempre que pensar na segurança das pessoas em primeiro lugar. Mas se a F1 e as equipes decidirem, numa situação dessas, que os problemas estão controlados e é confortável que elas corram, não ficaremos no caminho", disse à rede de TV inglesa Sky Sports.
 
"Seria uma pena, mas talvez possamos ter uma discussão boa com a F1 [para fazemos] como antigamente, onde era possível descartar algumas provas. Digamos que consigamos correr 15 GPs, talvez possamos criar um elemento para que apenas a pontuação nos 13 melhores conte. Se passarmos por uma situação como essa [de abandonar uma corrida sem participar], não vamos atrasar o esporte e nem seremos punidos", explicou. 
 
Sem qualquer confirmação sobre a possibilidade real de começar a correr, o GP da França é o próximo que segue de pé no calendário, marcado para 28 de junho.
 
Paddockast #56
QUEM VAI SER O PRÓXIMO BRASILEIRO NA F1?

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS:
 

☞ Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.
☞ Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.
☞ Evite aglomerações.
☞ Mantenha os ambientes bem ventilados.
☞ Não compartilhe objetos pessoais.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube