carregando
F1

McLaren valoriza reestruturação técnica em meio a “2018 difícil” e projeta ano novo empolgante na F1

Zak Brown refletiu sobre os trabalhos da McLaren ao longo de uma temporada longe do imaginado no começo do ano, quando a equipe frisou a meta de voltar ao pódio da F1. Para 2019, sem Fernando Alonso, com a mais jovem dupla da história e um reforçado quadro técnico, a expectativa do norte-americano é viver uma temporada mais positiva

Warm Up / Redação GP, de Sumaré
2018, definitivamente, não vai deixar muitas saudades para a McLaren. Nesta mesma época, no fim do ano passado, o discurso na equipe de Woking era que, com a chegada da Renault como fornecedora de motores, o pódio finalmente seria uma realidade. Mas Fernando Alonso e Stoffel Vandoorne ficaram bem longe de um top-3 ao longo da temporada, marcada por uma primeira parte até positiva, mas também por uma queda abrupta de performance, sobretudo no segundo semestre. De marcante, fica a reestruturação técnica promovida por Zak Brown, o chefe da McLaren, que dispensou Éric Boullier, promoveu Andrea Stella como diretor de performance e trouxe Gil de Ferran como novo diretor-esportivo.
 
2018 se vai e, com ele, Fernando Alonso, ao menos dos quadros para a F1. Vandoorne também deixou a equipe para focar nos trabalhos com a HWA/Mercedes na FE. Chega uma jovem dupla formada por Carlos Sainz e Lando Norris, além de Sergio Sette Câmara como piloto de testes e desenvolvimento. Para o novo ano, Zak Brown não promete resultados, mas mostra otimismo com a chegada de outros novos e importantes membros para o departamento técnico: Pat Fry e James Key, novo diretor-técnico do time, com posto a assumir ao longo de 2019.
 
“2018 foi um ano difícil, mas foi quando implementamos muitas mudanças. Aprendemos muito, entendemos os erros que cometemos e trabalhamos muito para garantir que não vamos repeti-los. Terminamos em sexto no campeonato, então, no papel, é um passo em frente em relação a 2017, mas certamente não foi uma temporada do calibre da McLaren ou do que nossos fãs esperam”, salientou Brown em declaração publicada no site da equipe britânica.
Zak Brown está ansioso pela chegada de novos tempos à McLaren (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
“Entretanto, fizemos mudanças muito necessárias. Disse antes que nossos problemas neste ano não foram criados da noite para o dia, e não vão ser resolvidos da noite para o dia”, comentou o chefão da McLaren, exaltando os quadros técnicos da equipe.
 
“Fizemos muito progresso nos últimos seis meses para nos colocarmos no rumo certo. Trouxemos Gil de Ferran, que traz uma mistura incomum de instinto de piloto com perspicácia estratégica, promovemos Andrea Stella a líder do nosso grupo de análise e desenvolvimento de desempenho e trouxemos Pat Fry como diretor de engenharia para liderar o projeto do MCL34. E, claro, contratamos James Key como nosso diretor-técnico para nos dar a liderança técnica singular que está faltando. Além dessas contratações de alto nível, procuramos colocar os talentos certos nos lugares certos dentro da organização para nos tornar ágeis e dinamizar nossa cultura técnica”, disse.
 
“Essas alterações fazem parte de um plano de recuperação de desempenho em constante evolução. A F1 é um ambiente dinâmico, não estático, então espero mais desenvolvimento nos próximos meses”, afirmou.
 
Para o ano que está prestes a chegar, a perspectiva é positiva não apenas para a F1, mas também com o retorno da McLaren às 500 Milhas de Indianápolis, com Fernando Alonso já confirmado no seu novo desafio para buscar sacramentar a conquista da Tríplice Coroa.
 
“Em 2019, há muito para ficar empolgado. James Key vai se unir a nós, Gil de Ferrai segue para um papel ampliado como diretor-esportivo da McLaren, o que significa que, ao passo em que buscamos turbinar nossos esforços na F1 e começamos a expansão para outras formas de automobilismo, como na Indy 500, Gil é um valioso braço direito para garantir que tenhamos sucesso esportivo em qualquer categoria em que entrarmos. Pat Fry, com quem vencemos muitas corridas e títulos, voltou a se unir a nós em 2018 para liderar e coordenar o design e a entrega do MCL34”, explicou.
 
“Ainda é um trabalho em andamento para completar a estrutura de liderança do nosso negócios da F1. No entanto, estou empolgado com o fato de James começar em tempo, não de influenciar no carro de 2019 na sua estreia, mas certamente para ajudá-lo a progredir ao longo da temporada e, o mais importante, para ele ser o ‘pai’ do MCL35”, emendou Brown, reforçando a importância da chegada do engenheiro, ainda contratualmente vinculado à Toro Rosso.
 
Para a Indy, Brown ressaltou a retomada da parceria com a Chevrolet, da mesma forma como foi há dois anos, e também a confiança nos trabalhos de Bob Fernley, nomeado como líder do projeto nos Estados Unidos.
 
“A Indy 500 vai ser um evento importante para nós, pelo qual trouxemos Bob Fernley, dono de muita experiência e reconhecido como um líder mais recentemente na F1, mas também na Indy. Ele foi encarregado para trabalhar bem próximo de Gil e eu para montar um programa competitivo para a McLaren Racing e Fernando. Também estamos muito satisfeitos em fazer uma parceria com a Chevrolet e reunir nossas duas marcas. Haverá mais novidades sobre nosso programa da Indy enquanto seguimos para o mês de maio”, assegurou.
 
Por fim, o chefão da McLaren reforçou a confiança sobre os jovens pilotos contratados pela McLaren e garantiu que a equipe está perto de anunciar grandes parceiros para o projeto da F1 em 2019. Desde o fim de 2013, quando a Vodafone retirou seu apoio, a McLaren não tem um patrocinador máster na F1.
 
“Também estamos animados com nossa dupla de pilotos para o ano que vem. Acho que Carlos e Lando serão ótimos não apenas para a McLaren, mas para o esporte. Já posso sentir a expectativa de ver a McLaren no grid com dois novos pilotos”, disse.
 
“Finalmente, estamos evoluindo bem na busca de patrocínios e parceria. É seguro dizer que você vai ver algumas grandes e novas marcas em nosso carro na Austrália, então estou muito satisfeito com os esforços que os departamentos de marketing e comercial estão colocando para buscar grandes parceiros para se unir a nós nesta jornada de volta às vitórias”, concluiu Zak Brown.