Médicos interrompem processo de acordar de Schumacher, publica revista alemã. Assessora nega

Iniciado há quase um mês, o processo de despertar de Michael Schumacher foi interrompido pelos médicos do CHU de Grénoble, segundo a revista ‘Focus’


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

O processo de despertar de Michael Schumacher foi interrompido, de acordo com a revista alemã ‘Focus’. A informação, contudo e como sempre, foi desmentida pela assessora de imprensa do piloto, Sabine Kehm.

De acordo com a publicação, a decisão dos médicos do Centro Hospitalar Universitário de Grénoble se deu devido a complicações que surgiram no quadro do alemão. Ele segue em coma após o acidente de esqui que sofreu em Méribel, na França, em 29 de dezembro.

Michael Schumacher continua internado em Grénoble, na França, quase dois meses após acidente (Foto: Getty Images)


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

A assessora de Michael foi sucinta ao falar sobre a situação para a agência germânica ‘DPA’: “Essa fase pode levar muito tempo, o que, para nosso pesar, pode levar a muitas interpretações erradas.” Ela disse que o estado de saúde do heptacampeão continua inalterado – em outras palavras, crítico porém estável.

O processo de despertar teve início no fim de janeiro – a informação foi confirmada pela família do piloto em 30 de janeiro, 32 dias após o acidente.

Nesse meio tempo, Schumacher, segundo o ‘Bild’, chegou a contrair pneumonia, mal do qual já se recuperou.

O brasileiro Felipe Massa, colega do germânico na Ferrari em 2006, foi até Grénoble visitá-lo e contou, depois, que Schumacher teve reações com a boca durante os momentos em que estiveram juntos.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube