F1

Mercedes aponta “rendimento” e diz que Ferrari poderia ter três vitórias em 2019

O diretor-executivo e chefe da Mercedes, Toto Wolff, avaliou que a Ferrari tinha condições de vencer três vezes na temporada se a análise for feita apenas com base no rendimento. Segundo ele, um problema de motor, uma batida e uma punição acabaram jogando essas vitórias no colo das Flechas Prateadas

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
A Ferrari deveria ter vencido até três corridas na temporada 2019 do Mundial de Fórmula 1. Quem falou isso não foi Sebastian Vettel Charles Leclerc ou Mattia Binotto: foi Toto Wolff, diretor-executivo e chefe da Mercedes. Segundo Wolff, a Ferrari perdeu a oportunidade de vencer três das nove corridas realizadas até aqui: contando que a Red Bull levou a melhor na Áustria, sobrariam cinco vitórias para a Mercedes.
 
Wolff lembrou momentos específicos: no Bahrein, Leclerc venceria não fosse por uma falha no motor na parte final da prova e lembrou que o monegasco comandava as ações no Azerbaijão enquanto Vettel começou com as rédeas do fim de semana no Canadá.
 
"A Ferrari devia ganhar a corrida com Leclerc no Bahrein e também foi mais rápida em Baku com Leclerc antes do acidente dele, assim como em Montreal com Vettel antes da punição. Dessa forma, baseados no rendimento, tudo poderia ser muito diferente" disse ao site norte-americano 'Motorsport'. 
Lewis Hamilton e Charles Leclerc (Foto: Mercedes)
O dirigente ainda recordou a pré-temporada impressionante da Ferrari e lembrou que demorou alguns dias para a Mercedes se ver em condições de desafiar os italianos. Mesmo após as primeiras mudanças terem terminado em decepção.
 
"Vimos uma Ferrari impressionante nos testes [de pré-temporada]. Era possível ver na pista que seu carro era realmente bom, mas depois eu soube que faríamos uma atualização que mudaria o carro completamente. Colocamos na pista na segunda-feira e não funcionava bem, assim como no segundo dia. Pensamos que teríamos um grande problema, mas mudou tudo no terceiro dia, quando o carro de alguma forma funcionou", lembrou.
 
"No quarto dia estávamos equiparando os tempos da Ferrari. Foi a primeira vez em oito dias de teste em que tivemos a sensação de que havíamos feito uma mudança que afetara o carro de verdade", finalizou. 
 
No mundo da realidade, a Mercedes tem 363 pontos contra 228 da Ferrari e 169 da Red Bull após as nove etapas e já tem o Mundial de Construtores encaminhado. O de Pilotos não é tão diferente: Lewis Hamilton tem 197 tentos contra 166 de Valtteri Bottas. O terceiro colocado é Max Verstappen, com 126.
 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.