carregando
F1

Mercedes busca equilíbrio entre 2020 e projeto para 2021: “É um grande desafio”

“Quanto maior o desafio, mais gostamos”. É assim que o chefe da equipe mais laureada da F1 nos últimos anos, Toto Wolff, encara a temporada 2020. Além da missão de manter a dinastia da Mercedes, o austríaco deixou claro que a transição para o ano de revolução do esporte vai ser árdua

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré

Ao mesmo tempo em que se prepara para 2020, a Fórmula 1 como um todo mira além e pensa nas profundas mudanças que vão ser efetivadas a partir da próxima temporada. A transição para novos regulamentos técnico, esportivo e financeiro e também o novo Pacto da Concórdia, documento que rege as relações comerciais do esporte, promete ser o grande desafio para as equipes. É esse também o entendimento da Mercedes. Toto Wolff salientou a importância de equilibrar os esforços entre a temporada deste ano e a revolução que promete mergulhar o esporte numa nova era no ano que vem.
 
“2020 vai ser particularmente desafiador porque haverá equipes que vão focar muito em 2020 e haverá equipes que vão começar a transferir seus recursos para 2021”, comentou o dirigente da equipe mais vitoriosa da F1 nos últimos anos na esteira do lançamento do W11 nesta sexta-feira (14), em Silverstone.
 
“Conseguir esse equilíbrio vai ser muito importante, mas isso não é fácil. Nossa ambição é clara: queremos ser competitivos em 2020 e 2021. Esse é um grande desafio, mas quanto maior o desafio, mais gostamos”, assegurou.
Toto Wolff tem a missão de comandar a equipe hexacampeã do mundo na F1 (Foto: Mercedes)
Com a estabilidade do regulamento da F1 para a temporada atual, Wolff reconhece que vai ser bem mais difícil obter ganhos de performance. Em contrapartida, o cenário muda completamente para 2021, um completo desconhecido para todos.
 
“2020 é uma evolução dos regulamentos atuais, de modo que os ganhos [de performance] vão ser menores, então você precisa de mais tempo e esforço para seguir melhorando seu carro. Por outro lado, os regulamentos de 2021 são tão diferentes que você precisa de muito tempo para se preparar”, salientou.
 
“Você tem também o efeito da limitação de orçamento, o que significa que você vai ter menos recursos disponíveis para lançar coisas em 2021. Portanto, é um grande desafio. Tivemos muitas mudanças nas regras nos últimos anos, mas desta vez estamos realizando um projeto de dois anos. Tentar fazer um bom trabalho em 2020 vai tornar a temporada mais difícil, mas também é uma oportunidade incrível”, explicou Wolff.
 
Mesmo sendo a equipe mais vitoriosa desde 2014, com seis títulos do Mundial de Construtores, seis do Mundial de Pilotos e nada menos que 89 triunfos neste período, a Mercedes chega a 2020 sem querer dar espaço para o comodismo. “Essa equipe mostrou repetidamente que adora ser desafiada, e vamos enfrentar isso com a mesma paixão e determinação que tornaram a Mercedes muito forte nos últimos anos”, assegurou o chefe da equipe.
Valtteri Bottas completou as primeiras voltas do W11 nesta sexta-feira (Foto: Mercedes)
“O ambiente deste ano é muito tranquilo, muito focado. Todos sabemos que há muito trabalho a ser feito e resultados a entregar para atender nossas expectativas. Por isso, estamos trabalhando duro para tentar nos preparar da melhor maneira possível. Não damos as vitórias ou títulos como garantidos. Sabemos que temos de lutar muito por isso, como tivemos de fazer todos os anos”, complementou.
 
Por fim, Wolff ressaltou o fator histórico, já que 2020 marca o aniversário de dez anos da entrada da Mercedes como equipe na F1 — fato que ocorreu depois da aquisição da campeã mundial Brawn, no fim de 2009. O dirigente austríaco também reiterou que, mesmo em meio às mudanças naturais ao longo da década, a marca continua comprometida com o esporte.
 
“2020 é um ano especial para a Mercedes, já que a equipe festeja seu 10º aniversário como time de fábrica nesta era moderna da F1. Em 14 de março de 2010, a nova equipe Mercedes participou da sua primeira corrida, o GP do Bahrein. Desde então, foram quase 200 largadas (198), 93 vitórias, 194 pódios e 48 dobradinhas. É fantástico que a equipe possa festejar seu décimo aniversário”, salientou.
 
“Voltamos à F1 há mais de 25 anos como fornecedor de motores e, depois, seguimos em frente com nossa equipe há dez anos. Isso mostra nosso comprometimento a longo prazo com nossa própria equipe e como fornecedor de unidades motrizes para clientes talentosos”, disse.
 
“Vivenciamos mudanças nos regulamentos técnicos, mudanças na gestão da Daimler, mas nosso compromisso com o esporte não mudou. É ótimo poder festejar nosso décimo aniversário com a equipe de fábrica da Mercedes como um marco deste compromisso”, concluiu Toto Wolff.
Paddockast #48
MELHORES PILOTOS BRASILEIROS DA DÉCADA


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.