Mercedes diz que Verstappen chegou “cedo demais” à F1: “Não estávamos prontos”

Toto Wolff avaliou que a Mercedes não estava pronta para Max Verstappen quando ele chegou à Fórmula 1. O dirigente ressaltou que a Red Bull deu tempo para o holandês se desenvolver e elogiou o passo à frente dado pelo #33 neste ano

Chefe da Mercedes, Toto Wolff avaliou que Max Verstappen chegou à Fórmula 1 “cedo demais” para o time alemão. Na visão do dirigente, a Flecha de Prata não estava pronta para o holandês.
 
Wolff explicou que, na época em que Max fechou com a Red Bull, a Mercedes não tinha o que oferecer, já que não contava com uma estrutura para jovens pilotos. Verstappen estreou na F1 em 2015, aos 17 anos e 166 dias.
 
“Antes de mais nada, me deixe dizer que o menino do passado é agora um jovem excepcional”, disse Wolff em entrevista ao site holandês ‘RacingNews365’. “Na Red Bull, Max teve tempo para se desenvolver. Na Toro Rosso e também na Red Bull, ele pôde cometer erros ― como o do GP do Azerbaijão do ano passado, com Daniel Ricciardo”, recordou.
Toto Wolff considerou que a Mercedes não tinha o que oferecer a Verstappen quando ele chegou à F1 (Foto: Reprodução)
Paddockast #33
10 ANOS DE SECA BRASILEIRA NA F1

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

“A maioria dos pilotos passa por uma curva de aprendizado, mas o passo adiante que deu do ano passado para agora foi muito impressionante, ainda que algumas de suas asas dianteiras fiquem danificadas no caminho”, comentou.
 
Questionado se tinha algum arrependimento por não ter garantido uma ligação entre Verstappen e a Mercedes, Wolff respondeu: “Não. Tudo acontece por uma razão”.
 
“A Red Bull deu tempo para o menino se desenvolver. Na época, não tínhamos instalações, estrutura para novatos. O foco da Mercedes era vencer corridas e campeonatos como um time, todas as coisas que eram muito novas para nós”, justificou.
 
Ainda assim, Wolff não negou o interesse do time prateado no filho de Jos Verstappen, com quem, aliás, o dirigente já esteve em contato algumas vezes.
 
“Claro, todo mundo sabe que queremos ‘o próximo Max’, mas posso dizer que já têm alguns vindo por meio do nosso programa de treinamento”, assegurou. “Mas o primeiro e único Max Verstappen chegou à F1 cedo demais para nós. Não estávamos prontos”, concluiu.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar