F1

Mercedes sai em defesa da Pirelli sobre estouro no pneu de Vettel em Spa. Ferrari esbraveja: “Ninguém nos avisou”

Niki Lauda e Toto Wolff partiram em defesa da Pirelli, duramente criticada pela Ferrari depois do estouro do pneu traseiro direito de Sebastian Vettel na última volta do GP da Bélgica, no último domingo. Mas Maurizio Arrivabene, chefe do time italiano, contra-atacou ao dizer que ninguém da Pirelli alertou para o risco
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Sebastian Vettel sofreu um estouro de pneu na penúltima volta do GP da Bélgica (Foto: AP)
O estouro no pneu traseiro direito de Sebastian Vettel, que perdeu a chance de subir ao pódio na última volta do GP da Bélgica, no último domingo (23), vai dar o que falar por um bom tempo. O tetracampeão se enfureceu com o ocorrido em Spa-Francorchamps e disse que, se a falha no pneu acontecesse antes, na Eau Rouge, “estaria fodido”. A Ferrari, por meio do chefe Maurizio Arrivabene, disparou contra a fornecedora italiana que, no entanto, recebeu a defesa da cúpula da Mercedes.

Na madrugada de segunda-feira, noite de domingo no horário do Brasil, a Pirelli emitiu um comunicado se defendendo das críticas da Ferrari ao dizer que pediu uma mudança nas regras para limitar o uso de pneus por um determinado número de voltas, mas acabou sendo ignorada.

Paul Hembery, diretor esportivo da Pirelli, disse também que a vida útil do pneu usado por Seb havia acabado, defendendo uma estratégia de duas paradas, de forma distinta ao que fora adotado pela Ferrari, que arriscou com um pit-stop, apenas.
Sebastian Vettel sofreu um estouro de pneu na penúltima volta do GP da Bélgica (Foto: AP)
Mas a Ferrari, por meio do chefe Maurizio Arrivabene, não se conforma com o incidente que tirou o pódio de Vettel, justo na corrida 900 da equipe italiana na F1. “Temos um engenheiro da Pirelli. Para que você acredita que ele está lá? Não é para mascar chiclete e sim para nos acompanhar em todas as pistas. Não tivemos nenhum aviso prévio. Posso mostrar o papel”, esbravejou o dirigente.

Mas o presidente não-executivo da Mercedes, o tricampeão mundial Niki Lauda, defendeu a Pirelli e criticou a postura de Sebastian. Na última sexta-feira, a equipe alemã viveu um susto semelhante ao ver o pneu traseiro direito de Nico Rosberg explodir na entrada da velocíssima curva Blanchimont. Por sorte, o piloto sequer bateu.

“A Ferrari não deveria reclamar se uma estratégia agressiva não funciona. O que Vettel disse sobre seu fornecedor de pneus não é justo, e eu não aceitaria isso da parte de um dos nossos pilotos”, bradou.

Lauda foi endossado pelo diretor-esportivo da Mercedes, Toto Wolff. “É compreensível que a Ferrari colocasse à prova essa estratégia e que Vettel estivesse chateado, mas tenho que defender a Pirelli. A Ferrari estava consciente de que eles assumiram um risco. Nós tomamos medidas depois do estouro [do pneu de Nico] na sexta-feira e, inclusive, consideramos uma terceira parada”, afirmou o austríaco.

Em contrapartida, Rosberg saiu em defesa de Vettel e mostrou preocupação com o ocorrido em Spa-Francorchamps. “Eles têm que pensar em algo para tentar melhorar a situação. Por exemplo, ativar todas as câmeras de ré, então, se as equipes estão vendo algo que pode indicar que os compostos irão estourar ou algo do tipo, eles poderão nos alertar. Eu não sei, mas qualquer coisa nessa linha. Temos de fazer com que isso seja mais seguro.”