F1

Mercedes vê Leclerc como “vencedor moral” no Bahrein e diz que Hamilton triunfou com “arma inferior”

Toto Wolff, chefe da Mercedes, sabe que Lewis Hamilton não merecia vencer o GP do Bahrein no último domingo (31), e que essa posição deveria ter sido de Charles Leclerc. Mas valorizou a luta de seu piloto, com “arma inferior”, contra Sebastian Vettel

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
A vitória de Lewis Hamilton no GP do Bahrein do último domingo (31) foi comemorada pela Mercedes, é claro, mas na transmissão oficial da F1 o rosto de Toto Wolff, chefe da equipe, se manteve impassível quando mostrado logo após a bandeirada. Não é que ele não tenha ficado feliz com o triunfo de seu piloto - a questão é que ele sabia que Charles Lecler deveria merecia a vitória.

Após a corrida, Wolff falou com a imprensa e assumiu que, em termos de "vitória moral", Leclerc é quem merece tal reconhecimento: "O vencedor emocional foi Charles."

"Por outro lado, em corridas essas situações acontecem. às vezes você tem sorte, outras azar, você vive todas essas experiências. Então você celebra, mas com humildade e sabendo que há trabalho a ser feito, sem pensar que nosso desempenho merecia a vitória. Não merecia", disse ele.
Lewis Hamilton e Charles Leclerc (Foto: Mercedes)
Já sobre quem herdou o lugar mais alto do pódio, Hamilton, Wolff afirmou que mostrou talento para ganhar uma batalha, contra Sebastian Vettel, mesmo não possuindo um carro no mesmo nível.

"Lewis brigou com uma arma inferior. Mas usar o DRS nos ajudou a nos manter atrás, mas perto, e essa foi uma batalha crucial. Se ele não tivesse vencido essa batalha, Sebastian teria vencido a corrida."

"E são essas pequenas diferenças que podem mudar um resultado de corrida e que podem alterar campeonatos", finalizou Wolff, valorizando o resultado do segundo colocado no Mundial - atrás de Valtteri Bottas, líder por um ponto de vantagem.