Mesmo com “diferença pequena”, Williams e Bottas decidem usar asa nova no GP da Hungria. Massa vai com peça ‘velha’

Ainda que não tenha sentido tanta diferença de performance sobre a nova asa dianteira construída pela Williams em relação à antiga, Valtteri Bottas decidiu, em conjunto com a equipe, seguir com a peça para o fim de semana em Hungaroring. Felipe Massa seguirá com o aerofólio mais antigo

Depois do primeiro dia de atividades de pista visando o GP da Hungria, Valtteri Bottas seguirá utilizando a nova asa dianteira, atualização desenvolvida e disponibilizada pela Williams a partir deste fim de semana. Por sua vez, Felipe Massa vai para a corrida com o aerofólio antigo.

Por estar à frente de Massa no campeonato, o finlandês tem a prioridade quanto ao uso de novas peças e atualizações desenvolvidas pelo time de Grove. Nesta sexta-feira (24), Valtteri comparou o desempenho das duas asas e não sentiu tanta diferença. Ainda assim, seguirá com o modelo novo na sequência do fim de semana.

Pela manhã, Bottas reconheceu que fez sua melhor volta usando o aparato antigo, mas considera que, por estar numa pista onde uma boa posição no grid de largada é tão importante, e cada centésimo é fundamental, o uso do novo aerofólio será crucial.

O NOVO PROJETO DO GRANDE PRÊMIO

Flavio Gomes explica os detalhes do projetoColabore e ganhe uma camiseta da Red Bull

Valtteri Bottas vai com a asa dianteira nova na sequência do fim de semana do GP da Hungria (Foto: AP)

Mas a diferença de tempos entre Bottas e Massa indica que a performance da asa dianteira nova usada pelo finlandês não é muito diferente do aerofólio antigo. Bottas terminou o segundo treino em nono lugar com 1min25s881, apenas 0s039 mais rápido em relação ao brasileiro, décimo.

“Não senti nenhum efeito negativo, então estou bem confortável mantendo-a e não acho que seja um risco. Talvez, isso me dê alguns pequenos ganhos, mas tudo sempre será bem-vindo. E nesta pista, na classificação, que é tudo sobre centésimos, tudo ajuda”, analisou Bottas durante entrevista coletiva nesta sexta-feira, logo após o segundo treino em Budapeste.

“O passo com a asa dianteira não é fácil de sentir, é pequeno atualmente. No primeiro treino, fiz minha melhor volta com a asa antiga, mas acho que foi porque a volta com a asa antiga foi um pouco melhor do que com a nova”, declarou o piloto de 25 anos.

“Quando a diferença é pequena, não é fácil obter uma resposta, mas tudo sugere que é um pequeno passo no rumo certo, e continuei com a asa nova no segundo treino sem qualquer problema”, explicou.

A expectativa da Williams é que Massa tenha a nova asa dianteira na próxima etapa do campeonato, o GP da Bélgica, quando a F1 voltar das férias de verão, no fim de agosto.

Massa acabou uma posição atrás, em décimo, pois. “A maneira pela qual o dia se desenrolou deixou claro que temos potencial para termos um bom fim de semana e lutar com aqueles que estão próximos a nós no campeonato. Não vai ser fácil, mas temos mais para dar do que apresentamos hoje”, disse o experiente brasileiro.

O GRANDE PRÊMIO acompanha as atividades do GP da Hungria em TEMPO REAL.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube