Mesmo fora dos pontos, Vettel canta para Ferrari no fim do GP de Abu Dhabi

O adeus de quem canta! Tetracampeão termina a história na Ferrari com 14º lugar e música para os funcionários do time italiano

A história de Sebastian Vettel com a Ferrari chegou ao fim no começo da tarde deste domingo (13), quando a bandeira quadriculada foi tremulada para o GP de Abu Dhabi. Mesmo com a temporada conturbada, o tetracampeão mundial terminou a corrida cantando para a equipe. Afinal, quem canta seus males espanta, diria o poeta.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Dono de 14 vitórias ao longo de três anos, Vettel teve um ano estranho. Rendeu pouco, mas numa situação tóxica na qual foi descartado ainda antes da primeira corrida e seguiu sendo tratado como alguém demitido. Terminou a última corrida em 14º.

Mesmo assim, Vettel resolveu cantar no rádio ao fim da corrida – como fez tantas outras vezes. A música escolhida foi uma versão adaptada de ‘Azzurro’, música escrita por Paolo Conte. Quem canta a versão mais famosa é Adriano Celentano.

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:
Anchor | Apple | Spotify | Google | Pocket Cast | Radio Public | Breaker

Do outro lado, o engenheiro Riccardo Adami, que trabalha ao lado de Vettel desde 2015, respondeu. “Obrigado pelo trabalho duro durante todos esses anos juntos. Você nos deu muita coisa e foi também um grande prazer”, disse. “Um ótimo piloto e um grande homem, com um grande coração. Obrigado”.

A partir de agora, Seb segue a vida em outra parte. Vai para a Aston Martin, atual Racing Point, onde será o substituto de Sergio Pérez na temporada 2021.

De ponta a ponta, Verstappen fecha F1 2020 com vitória no sofrível GP de Abu Dhabi

O espetáculo inesquecível que a Fórmula 1 proporcionou há exatamente uma semana no anel externo de Sakhir foi exatamente o oposto da corrida que encerrou uma ótima temporada 2020. Na noite deste domingo (13), Abu Dhabi foi palco de outra corrida sonolenta e sofrível, desprovida de emoção e com apenas raras disputas no pelotão intermediário. Ao fim de 55 voltas, Max Verstappen venceu em Yas Marina e alcançou seu segundo triunfo no campeonato e o décimo na carreira na esteira de uma jornada dominante ao longo da prova.

MAX VERSTAPPEN; GP DE ABU DHABI; F1; FÓRMULA 1;
Max Verstappen ‘sumiu’ na frente das Mercedes neste domingo em Abu Dhabi (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Se é verdade que Verstappen dominou como quis e liderou de ponta a ponta, há outro ponto: a Mercedes, que foi a senhora de toda a temporada e conquistou com merecimento seu sétimo título do Mundial de Construtores, esteve irreconhecível em Abu Dhabi. Valtteri Bottas jamais esteve sequer perto de ameaçar Max, mas o finlandês desta vez teve uma performance mais aceitável para cruzar a linha de chegada em segundo lugar e garantir o vice-campeonato do Mundial de Pilotos.

Grande nome de 2020, maior vencedor e maior campeão de todos os tempos, Lewis Hamilton, por sua vez, realizou a corrida que foi possível. Ainda sem estar 100% recuperado depois de vencer a Covid-19, o heptacampeão do mundo atuou debilitado fisicamente. E também contou, assim como Bottas, com um motor Mercedes com menos potência que o habitual. O procedimento foi adotado pela equipe como forma de precaução para evitar mais quebras nesta corrida derradeira de 2020.

Alexander Albon fez uma corrida ok com a Red Bull, não comprometeu e terminou na quarta colocação. O anglo-tailandês, que tem seu futuro em risco na equipe taurina para 2021, foi seguido por Lando Norris, com uma atuação muito segura. O prodígio britânico conquistou a quinta posição e terminou logo à frente de Carlos Sainz, que se despede da McLaren com um resultado que, combinado com o de Norris, ajudou a equipe de Woking a terminar 2020 como terceira colocada no Mundial de Construtores, superando a Racing Point.

Os rosáceos amargaram um duro revés com o abandono do vencedor do GP de SakhirSergio Pérez, por problemas de pressão de óleo do motor. Tendo apenas Lance Stroll, ficou difícil alcançar qualquer objetivo. O canadense ficou longe de ameaçar Pierre Gasly, autor de um dos grandes momentos do ano com a vitória na Itália, e foi apenas o décimo colocado na prova depois de ter sido ultrapassado por Esteban Ocon.

Daniel Ricciardo, que se despediu da Renault neste fim de semana, foi o sétimo e ainda marcou, no finalzinho, a melhor volta da corrida. O australiano foi seguido pela AlphaTauri de Gasly. Ocon e Stroll, que fechou o top-10. Pietro Fittipaldi, na sua segunda corrida na F1, foi o 19º.

Saiba como foi o GP de Abu Dhabi de Fórmula 1.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube