Andretti revela que decisão sobre controle da equipe impediu compra da Sauber

Michael Andretti se pronunciou pela primeira vez sobre o assunto e disse que "questões no controle" impediram acordo na "hora H". O dirigente confirmou que Colton Herta seria a bola da vez para ocupar a segunda vaga da Alfa Romeo para 2022

ANDRETTI -SAUBER NA F1: AFINAL, O ACORDO SAI OU NÃO? | GP às 10

Pela primeira vez desde que começaram os rumores sobre a possível compra da Sauber, Michael Andretti se pronunciou oficialmente e revelou os motivos pelos quais a negociação não foi consumada. Em entrevista nesta quinta-feira (4) em Indianápolis, o ex-piloto e dirigente explicou que o dinheiro não foi o fator que determinou o fracasso na aquisição da estrutura da empresa de Hinwil, mas sim o fato de não poder assumir o controle da equipe, em situação que surgiu de última hora e encerrou qualquer possibilidade de um acordo.

Andretti reiterou que o negócio estava mesmo em vias de ser consumado, mas o impasse no fim do processo de compra “matou o negócio”, nas palavras do CEO e presidente da equipe que leva seu sobrenome.

“Gostaria apenas de encerrar alguns desses rumores de que o negócio não deu certo por motivos financeiros. Isso não poderia estar mais longe da verdade e não teve nada a ver com isso. Basicamente, tudo se resumia a questões de controle nas horas finais das negociações, foi isso o que matou o negócio”, comentou Michael em entrevista coletiva na esteira do anúncio do piloto Delvin DeFrancesco para o carro #29 na temporada 2022 da Indy.

MICHAEL ANDRETTI;
Michael Andretti se pronunciou pela primeira vez sobre as negociações com a Sauber (Foto: Indy)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

O empresário deixou claro que não desistiu de colocar sua equipe no grid da Fórmula 1, mas ressaltou que, diante de tais condições, não havia como fechar negócio com a Sauber. “Sempre disse que, se o negócio não for o certo, não vamos fazer. No fim, não estava certo. Assim, seguimos em busca de outras oportunidades”.

Michael Andretti reforçou que a não-possibilidade de um acordo não teve relação alguma com o fator financeiro. Segundo a revista alemã Auto Motor und Sport, a aquisição da estrutura toda girava em torno de € 350 milhões (R$ 2,2 bilhões), além de uma garantia adicional de mais € 250 milhões (R$ 1,6 bi).

Isso seria uma maneira de dar segurança à operação da esquadra pelos próximos cinco anos. Ainda, os € 50 milhões (R$ 320 mi) anuais seriam destinados a preencher a lacuna entre a receita da equipe e o limite do orçamento, caso não houvesse dinheiro suficiente em patrocínios. De acordo com a publicação, o desacordo foi o grande entrave para o negócio, mas a informação foi desmentida por Andretti.

“Comentei antes: não acredite em rumores como os que você ouviu sobre o motivo disso não ter acontecido. Não teve nada a ver com dinheiro ou algo do tipo. Infelizmente, na hora H, as questões de controle mudaram, foi um acordo que tivemos de abandonar porque não poderíamos aceitar”, reiterou.

O dirigente disse que a Fórmula 1 segue no radar, mas uma entrada no grid como equipe só vai se tornar realidade quando houver a chance de ser competitivo e de assumir o controle do negócio. Além da Indy e das categorias do Road to Indy, a Andretti tem participações importantes em competições como a Fórmula E, Extreme E e V8 Supercars, por exemplo.

COLTON HERTA; MICHAEL ANDRETTI;
Michael Andretti confirmou que Colton Herta seria o escolhido para ocupar um lugar na F1 (Foto: IndyCar)

“Nossos olhos sempre estão abertos, estamos sempre buscando oportunidades lá. Não só lá, mas também em outras categorias, outros tipos de categoria. Isso é o que fazemos, estamos nesse negócio no automobilismo e estamos sempre em busca de oportunidades para expandir. Mas quando expandimos, temos de ter certeza de que é um negócio adequado que sabemos que podemos ser competitivos, porque isso é muito importante para a nossa marca: ser competitiva em tudo o que fazemos”, comentou.

Por fim, Michael Andretti confirmou que Colton Herta seria mesmo a bola da vez para ocupar a segunda vaga na Alfa Romeo caso o negócio fosse em frente. No início de outubro, o Diário Motorsport, parceiro editorial do GRANDE PRÊMIO, publicou que o acordo entre o consórcio de investidores representado por Michael e a equipe suíça estava fechado e que Herta, que defende a Andretti na Indy, seria titular do time na F1.

É o jovem, que agora vai seguir na Indy em mais uma temporada, o eleito se a Andretti conseguir se colocar no grid da Fórmula 1.

“Em termos de querer levar pilotos americanos, ele é o cara perfeito para isso. Definitivamente, tentaríamos colocar na vaga porque acredito que ele poderia ser um piloto competitivo na Europa. Quero isso. Obviamente, ele estava empolgado com a oportunidade, mas ele também está animado com a esperança de buscar o título da Indy para nós”, finalizou.

David Vidales quase decola e acerta Dino Beganovic. Os dois pilotos, da Prema, abandonaram em Monza (Vídeo: FRECA)
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar