Mídia italiana exalta novo “milagre” de Leclerc e aponta “desastre completo” de Vettel

Graças a outro inesperado pódio na temporada 2020 da Fórmula 1, Charles Leclerc foi novamente elogiado pela empolgada imprensa italiana. Que, em contrapartida, não poupou críticas a Sebastian Vettel, apenas décimo lugar no GP da Inglaterra. O tetracampeão foi lembrado pela ultrapassagem sofrida pela AlphaTauri de Pierre Gasly

O desfecho do GP da Inglaterra sintetizou o atual momento da Ferrari neste 2020 marcado por momentos de crise e falta de performance. Diante das condições atuais da SF1000, Charles Leclerc teve um fim de semana acima do esperado em Silverstone, garantiu o quarto lugar no grid de largada e, na esteira de um domingo (2) marcado por furos de pneus de Valtteri Bottas, Carlos Sainz e Lewis Hamilton, conquistou outro pódio inesperado ao finalizar a disputa em terceiro. Sebastian Vettel, por sua vez, sofreu em toda a sua jornada na antiga base aérea britânica, com problemas desde os treinos livres. O tetracampeão largou em décimo, foi ultrapassado pela AlphaTauri de Pierre Gasly e só conseguiu marcar 1 ponto por conta do problema no fim com a McLaren de Sainz.

Em um dia de contrastes, a imprensa italiana rasgou elogios a Leclerc, que reconheceu que o pódio inesperado em Silverstone veio na base da sorte. E voltou a criticar a performance de Vettel, que vai deixar a casa de Maranello ao fim da temporada para dar lugar a Sainz no ano que vem. O alemão lamentou pela falta de confiança no carro e por jamais ter chances de extrair um bom desempenho no fim de semana.

O diário La Gazzetta dello Sport adotou um tom mais tranquilo para analisar o desempenho dos dois pilotos da escuderia italiana. “Leclerc é a certeza da Ferrari, a nota feliz da equipe. O inesperado terceiro lugar chegou por [a Ferrari] ter um piloto como Charles Leclerc na equipe”, disse o jornal, que aponta, dentre os fatores para a queda de performance de Vettel, a falta de motivação.

Charles Leclerc conquistou outro pódio inesperado na temporada (Foto: Ferrari)

Sebastian Vettel sofreu em todo o fim de semana, entre problemas técnicos, acerto e motivação. Leclerc, determinação e personalidade. O piloto da Ferrari virou a página depois do acidente no GP da Estíria. O pódio é uma injeção de confiança em um momento técnico difícil, confirmado pelo décimo lugar de Sebastian Vettel, que fechou a zona de pontuação graças ao problema de Sainz”, destacou.

O Corriere dello Sport foi mais empolgado na explanação da performance da dupla. “Pódio milagroso de Leclerc. Sua corrida foi excelente. A Ferrari teve um fim de semana obscuro. Leclerc, que largou em quarto, jamais conseguiu se aproximar dos três primeiros, mas tirou proveito da explosão do pneu de Bottas para alcançar um terceiro lugar incrível”.

“Pior foi Vettel, que fecha um fim de semana muito difícil. O alemão sofreu muito com o pneu duro, chegou à zona de pontuação por um pelo e terminou em décimo”, salientou.

Por sua vez, o Il Giornale apontou o resultado de Leclerc em si como um fruto do acaso e que não reflete a realidade da Ferrari no momento. E mesmo que o pódio do monegasco represente um alento, a jornada de Vettel mostra que há muito trabalho a ser feito para que a equipe volte a conquistar os resultados que traduzem sua história vitoriosa na F1.

“Um golpe teatral sofrido por Bottas empurra a Ferrari ao pódio. No fim, Charles Leclerc suibiu de novo ao pódio e tirou o melhor de uma Ferrari que nunca pode lugar não somente com a Mercedes, mas tampouco com a Red Bull. Charles tentou na largada, mas Max foi difícil de ultrapassar. Depois, o piloto não pode fazer nada para se aproximar da Red Bull. Mas o objetivo foi alcançado, e o pódio foi um prêmio inesperado”, ressaltou o periódico, que criticou duramente a performance do tetracampeão.

A imprensa italiana ressaltou a ultrapassagem de Gasly em cima de Vettel (Foto: AFP)

“Um desastre completo e mais realista para a outra Ferrari, de Vettel: relegado à décima posição, a mais de 40s do líder, apesar dos furos de pneu e dos safety-cars que juntaram o grid”, opinou o Il Giornale.

“O pódio é uma panaceia para a moral da equipe de Maranello, mas a realidade é diferente, e [Mattia] Binotto se mostrou consciente de que o resultado não reflete os valores na pista. Uma Mercedes inalcançável, uma Red Bull perseguindo os alemães a uma distância segura e, depois, todos os demais”, analisou.

“A corrida de Vettel, por outro lado, foi muito mais complicada. Teve um bom momento só no fim, quando conseguiu manter o décimo lugar em que pese o ataque imposto por Bottas. A fotografia da sua corrida foi na volta 38, quando não conseguiu resistir ao ataque da AlphaTauri de Gasly. Hoje, a Ferrari é isso”, concluiu a publicação.

A Fórmula 1 volta a acelerar em Silverstone neste fim de semana com a disputa do GP do Aniversário de 70 Anos da categoria. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube