F1

Ministério do Turismo libera R$ 54 milhões para financiar parte final das obras do autódromo de Interlagos

No que depender do Governo Federal, o Brasil seguirá no calendário da F1 nos próximos anos. O Ministério do Turismo liberou R$ 54 milhões para garantir a continuidade das obras no tradicional circuito paulista

Warm Up, de Interlagos / VINÍCIUS PIVA, de São Paulo
Muito se falou nesses dias de GP Brasil sobre a continuação (ou não) do país no calendário da F1 nos próximos anos. Neste ano, a organização reconheceu que a conta fechou no vermelho e, mais do que isso, a previsão para 2017 é que o prejuízo aumente exponecionalmente. 
 
Mas, pelo visto o Governo Federal não abrirá mão fácil de sediar a prova em Interlagos. Os ministros Marx Beltrão, do Turismo, e Leonardo Picciani, do Esporte, estiveram neste domingo (13) no autódromo para assistir de perto a GP do Brasil e defenderam a continuação das obras no circuito e, consequentemente, a permanência da maior categoria do automobilismo mundial na capital paulista.
 
Beltrão visitou o novo paddock e elogiou os novos edifícios construídos recentemente e disse que se trata de uma prioridade concluir a última fase da obra, que está prevista para ser executada em 2017. O plano é ter novos boxes e cobrir o paddock. O dinheiro? Segundo ele terá: “O Ministério liberou R$ 54 milhões na semana passada nesse sentido. [O evento] Traz um movimento econômico na casa de R$ 300 milhões para a cidade”, explicou Beltrão, que pretende dialogar com o novo prefeito eleito da cidade para acertar os detalhes.
Fernando Haddad (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Já Leonardo Picciani, ministro do Esporte, lembrou a importância de grandes eventos esportivos, como Jogos Olímpicos e o GP Brasil, para reforçar a imagem do país como uma nação incentivadora do esporte. “É um evento da cidade de São Paulo e do Brasil. A manutenção da corrida é muito importante e tem o apoio do Governo Federal”. Segundo Picciani, o trabalho em conjunto com a prefeitura é essencial para garantir o autódromo nas melhores condições possíveis para continuar recebendo a F1”.
 
Mais cedo em Interlagos, o atual prefeito Fernando Haddad afirmou que vai se encontrar com João Doria, que assumirá em janeiro, para tratar da continuidade das obras. A intenção do novo governo é privatizar Interlagos ainda em 2017.