Mundial de Construtores, top-5 e despedidas: o que também está em disputa em Abu Dhabi?

Ciclos se encerram, pilotos trocam de equipes e outras disputas valiosas estão em jogo no GP de Abu Dhabi. Confira o que também acontece fora da briga entre Lewis Hamilton e Max Verstappen

Não é só de Lewis Hamilton x Max Verstappen que vive a Fórmula 1. O GP de Abu Dhabi deste domingo (12) fica marcado por uma porção de outras disputas, despedidas e histórias paralelas que também merecem um pingo de atenção apesar de concorrem com a decisão de um dos títulos mais quentes e disputados dos anos recentes da categoria.

O primeiro destaque vai para a disputa do Mundial de Construtores. A Mercedes tem a chance de conquistar o oitavo título em sequência, um feito inédito na Fórmula 1. São 28 pontos de vantagem para a rival Red Bull e o cenário para a conquista é muito simples: basta Lewis Hamilton e Valtteri Bottas somarem mais de 16 pontos. Os taurinos precisam de uma combinação levemente improvável para impedir o feito. De qualquer forma, é a primeira vez desde 2008 que a disputa entre equipes é levada até a decisão, provando o nível de desafio entregue pelo time de Milton Keynes.

Outras pequenas batalhas entre as equipes ainda são matematicamente possíveis, mas de pouca probabilidade, como Ferrari x McLaren pelo terceiro lugar, Alpine x AlphaTauri pelo quinto e Williams x Alfa Romeo pelo oitavo.

Charles Leclerc quer se manter no top-5 (Foto: Ferrari)

Entre os pilotos, outras pequenas disputas também merecem destaque além da batalha pelo título, como o impasse entre Charles Leclerc e Carlos Sainz pela vaga final no top-5 do campeonato. Leclerc superou Norris na tabela na Arábia Saudita, abrindo 4 pontos de margem ao inglês e 8.5 para o companheiro de equipe Sainz, que ainda pode sair com o curioso feito de três temporadas consecutivas no sexto lugar caso passe Lando na classificação.

Já a dupla da Alpine, formada por Fernando Alonso e Esteban Ocon, briga para definir quem fica no top-10 do campeonato. Alonso tem 77 pontos contra 72 do francês.

Yas Marina também será palco de despedidas. A mais notória é a de Kimi Räikkönen. Aos 42 anos, o campeão mundial de 2007 e recordista de largadas na história da Fórmula 1 encerra a trajetória iniciada em 2001. Räikkönen ainda teve um fim de passagem digno pela F1, somando pontos em quatro oportunidades na temporada. Quem também se despede da categoria é o companheiro de Kimi: Antonio Giovinazzi, que não teve contrato renovado pela Alfa Romeo e vai guiar na Fórmula E em 2022. Com a saída do dono do carro #99, a Itália volta a ficar “órfã” de pilotos na F1, já que Giovinazzi foi o primeiro representante do país desde a saída de Jarno Trulli, em 2011.

Kimi Raikkonen se despede da Fórmula 1 (Foto: Alfa Romeo)

Algumas passagens longas por equipes também se encerram neste domingo. Após cinco temporadas pela Mercedes, o finlandês Valtteri Bottas não teve o vínculo renovado pela equipe e parte para substituir Räikkönen na Alfa Romeo. Pelo time de Brackley, foram 10 vitórias e os vice-campeonatos em 2019 e 2020 para Bottas. Seu substituto será George Russell, que deixa a Williams depois de uma passagem de três campeonatos. Russell foi parte importante na tentativa de reconstrução do time de Grove, promovendo o retorno da escuderia ao pódio com o GP da Bélgica.

Por fim, quem também se despede da Fórmula 1 é a Honda. A montadora japonesa esteve como fornecedora de motores na categoria desde 2015, e atualmente em parceria com Red Bull e AlphaTauri. Os japoneses podem deixar o campeonato com um título mundial, algo que não acontece desde 1991, com Ayrton Senna, pela McLaren. A partir de 2022, os times do conglomerado dos energéticos utilizarão motores da Red Bull Powertrains, uma divisão de produção própria herdando a tecnologia japonesa.

A decisiva e derradeira corrida desta imprevisível temporada 2021 da Fórmula 1 tem largada marcada para domingo, às 10h (de Brasília, GMT-3), com transmissão ao vivo da Band na TV aberta e do serviço de streaming F1 TV Pro. O GRANDE PRÊMIO acompanha a definição do grande campeão da Fórmula 1 AO VIVO e em TEMPO REAL.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar