F1

Na dúvida sobre estratégia “certa ou errada” de pneus, Hamilton alerta para Ferrari “muito boa de largada”

Se Mercedes e Ferrari acertaram nas respectivas táticas de pneus para a largada do GP do Brasil, só o domingo vai dizer. Mas Lewis Hamilton aposta em uma partida “um pouquinho interessante”. Sebastian Vettel, que vai fechar a primeira fila, também não mostrou pessimismo
Warm Up, de São Paulo / FERNANDO SILVA, de Interlagos
 Sebastian Vettel e Lewis Hamilton (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Lewis Hamilton e Sebastian Vettel vão dividir a primeira fila do grid de largada do GP do Brasil neste domingo (11). No entanto, os multicampeões vão partir lado a lado com estratégias diferentes de pneus. Enquanto o britânico vai abrir a prova em Interlagos com os pneus supermacios, a Ferrari adotou uma tática mais ousada e vai ser a única equipe que foi ao Q3 a partir com os macios. 
 
A estratégia das equipes pode ser neutralizada pelo clima caso a chuva dê as caras no momento da corrida. Mas se a prova começar com pista seca, Hamilton vai partir com pneus mais rápidos em relação ao rival. 
 
O pentacampeão se mostrou incerto sobre a eficácia da estratégia para domingo, mas torce para a Mercedes ter acertado, considerando as bolhas que Vettel e Kimi Räikkönen reportaram no uso dos supermacios nas simulações de corrida de sexta-feira.
Lewis Hamilton está na expectativa sobre a eficácia da estratégia de pneus da Mercedes (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Não sei, vamos ver. Você viu o quão rápida a Ferrari está. Eles tiveram muitas bolhas do que nós com os supermacios ontem [sábado]. Não sei se isso é o correto, mas nós optamos pelos macios e as coisas podem mudar para o lado errado”, explicou Hamilton em entrevista coletiva logo após ter conquistado a pole-position em Interlagos.
 
“Se é a [estratégia] certa ou errada, vamos ver amanhã, mas espero que, com a escolha que nós temos, eu tire o melhor dela”, continuou.
 
Questionado a respeito da diferença de performance entre os pneus macios e os supermacios em termos de largada, Hamilton lembrou que a Mercedes pode ter alguma vantagem com os compostos vermelhos. Por outro lado, também destacou a eficácia da Ferrari nas largadas.
 
“Não é uma enorme diferença, mas há sempre uma diferença de alguma forma. Definitivamente, vai ser um pouquinho interessante. Não há muito a percorrer até à primeira curva, mas a Ferrari geralmente é muito boa de largadas”, pontuou.
 
“No entanto, nós estamos bem perto em termos de performance global neste ano com a Ferrari. Atualmente estamos iguais a eles, então nós temos um número parecido de boas largadas, então estou empolgado para ter uma batalha, você sabe. Acho que é um cenário interessante. Vamos dar tudo o que pudermos amanhã”, complementou o pentacampeão.
 
Por sua vez, Vettel se mostra confiante em poder amenizar o pequeno déficit dos macios nos metros iniciais do GP do Brasil com uma boa largada, ainda que partindo do lado mais sujo da pista neste domingo.
 
“Tenho boas lembranças partindo do segundo lugar, então vamos ver. Acho que depende muito mais do trabalho que você faz na largada, sobre correr tudo de forma correta com um pouquinho de diferença nos pneus”, explicou o alemão.
 
O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do Brasil de F1 com os repórteres Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Gabriel Curty, Juliana Tesser, Nathalia De Vivo e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe tudo aqui.