Na Garagem: aos 22 anos, Alonso se torna mais jovem vencedor da história da F1

Fernando Alonso quebrou um recorde que durava 43 anos ao ganhar o GP da Hungria de 2003. Desde então, sua marca já foi batida duas vezes

Foi em um 24 de agosto como este que a F1 conheceu o mais jovem vencedor de sua história — ao menos assim eram as manchetes ao final do GP da Hungria de 2003. Aos 22 anos e 26 dias, Fernando Alonso quebrou o recorde de Bruce McLaren que vinha desde 1959 e se tornou o mais novo a subir ao alto do pódio.

 
A corrida foi marcante também para a Renault, que voltou a vencer com seu time de fábrica na F1 depois de 30 anos — o último triunfo havia sido em 1983 — e representou a primeira vitória espanhola na categoria.
Fernando Alonso venceu pela primeira vez na F1 na Hungria em 2003 (Foto: LAT/Renault)

  
    google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
    google_ad_slot = “2258117790”;
    google_ad_width = 300;
    google_ad_height = 600;

Alonso, em seu primeiro ano com a equipe francesa, já havia conseguido uma pole no início do ano na Malásia, mas perdeu para Kimi Räikkönen em Sepang na que foi a primeira vitória do finlandês. Na Hungria, novamente era ele quem aparecia no topo da tabela de tempos no sábado à tarde.

 
Em primeiro no grid, o espanhol não decepcionou. Manteve-se à frente na largada, usou o tanque mais vazio para construir uma confortável vantagem de 21s na liderança e só perdeu a ponta por uma volta durante a primeira janela de pit-stops. Uma vitória convincente, sem dúvida alguma.
 
Na linha de chegada, Räikkönen só deu as caras 16s mais tarde. Juan Pablo Montoya foi o terceiro colocado.
 
“Nas duas ou três primeiras voltas, eu tinha o Mark Webber no meu retrovisor. Depois, na nona volta, perguntei onde estavam os outros, e eles me disseram 15s atrás. Pensei: ‘Ai meu Deus, estou muito rápido agora’”, relatou o asturiano depois da corrida. 
Fernando Alonso venceu pela primeira vez na F1 na Hungria em 2003 (Foto: LAT/Renault)
Essa prova também é lembrada por conta de um forte acidente que Rubens Barrichello sofreu. Quinto no grid, ele subiu para terceiro na largada, mas se precipitou ao tentar ultrapassar Webber na terceira volta e cortou a chicane. Na hora de devolver o lugar para o australiano, abriu caminho para Kimi e para a Renault de Jarno Trulli. Suas tentativas de recuperação se encerraram quando a suspensão traseira quebrou no fim da reta e o mandou para o muro. Na época, a Ferrari alegou que a falha se deu pelo modo agressivo como o brasileiro atacou as zebras, uma justificativa que não pegou muito bem.
 
O recorde de Alonso durou cinco anos. Sebastian Vettel o superou no GP da Itália de 2008, aos 21 anos, dois meses e 11 dias. E, claro, em maio de 2016, Max Verstappen venceu o GP da Espanha aos 18 anos, sete meses e 15 dias — um feito que provavelmente durará para sempre.
Fernando Alonso venceu pela primeira vez na F1 na Hungria em 2003 (Foto: LAT/Renault)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube