Na Garagem: Barrichello chega perto de encerrar jejum, mas é desclassificado

Rubens Barrichello, em seus 19 anos de F1, passou apenas uma temporada em branco. E quando parecia que 2008 começaria melhor, o piloto foi desclassificado e perdeu os pontos que conquistaria no GP da Austrália

A má fase da Honda acabaria em 2008? Quase que Rubens Barrichello fez o começo de sua terceira temporada na equipe japonesa ser muito melhor que o ano anterior, mas um erro dele e da equipe custaram caro.
 
O piloto com mais corridas disputadas na história da categoria passou apenas um de seus 19 anos sem pontuar: 2007. O carro da Honda era terrível, e Jenson Button foi capaz de marcar apenas seis pontos.
 
O modelo de 2008 de fato era melhor, e Barrichello conseguiu se classificar em 11º no GP da Austrália. Seu tempo foi só 0s5 mais lento que o mais baixo do Q2.
 
Na corrida, depois das confusões da largada, uma delas envolvendo uma rodada de Felipe Massa, Rubens saltou para sétimo. Ali foi se mantendo durante boa parte da prova. E, com os sucessivos abandonos, parecia cada vez menos provável que ele ficasse fora dos pontos — apenas seis carros cruzaram a linha de chegada na volta do líder.
Parecia que Barrichello voltaria aos pontos na F1. Só parecia (Foto: Bridgestone)
O desastre aconteceu a partir da volta 44. O novato Timo Glock sofreu um acidente e provocou a intervenção do carro de segurança.
 
Naquele ano, porém, havia a regra de que os boxes ficariam fechados durante os períodos com safety-car. Se o piloto fosse ficar sem combustível, tudo bem, poderia parar, desde que cumprisse uma punição depois.
 
A Honda teve de chamá-lo, e lá foi Barrichello. O outro problema: também ficava acesa uma luz vermelha na saída dos boxes, e os pilotos só poderiam deixar o pit-lane depois que toda a fila passasse. Na saída, nem o brasileiro, nem a equipe se tocaram.
 
Aqui, a penalização para a infração era mais grave: a desclassificação. Assim, o suado sexto lugar conquistado por Barrichello foi anulado depois da corrida, e o jejum persistiu. Ele só voltaria a pontuar no GP de Mônaco, após um ano e meio de seca.
 
E acabou que no GP da Austrália, vencido por Lewis Hamilton, Sébastien Bourdais e Kimi Räikkönen, que abandonaram na volta final, foram classificados por terem completado 90% da prova e levaram pontos para casa. GP dos EUA de 2005 à parte, esse é GP deste século em que menos carros viram a bandeirada.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube