F1

Na Garagem: cinco pilotos ficam sem combustível nas voltas finais em Ímola

Há 30 anos, Alain Prost teve de poupar ao máximo o combustível para chegar ao fim do GP de San Marino. No auge da Era Turbo, cinco pilotos tiveram pane seca no final
Warm Up / RENAN DO COUTO, de São Paulo
 Alain Prost venceu um GP de 'sobrevivência' em San Marino (Foto: Sibo/Forix)
O GP da pane seca. É uma boa forma de se lembrar do GP de San Marino de 1986, disputado há exatos 30 anos. Cinco pilotos ficaram sem combustível nas voltas finais.
 

No auge da Era Turbo, os motores bebiam bastante, e as tecnologias para se medir o consumo também não eram das mais avançadas. Resultado: em um circuito como Ímola, que na época era um dos mais rápidos da F1, ficava-se muito tempo de pé embaixo. E, assim, o consumo ia para as alturas.
 
60 voltas estavam programadas, e, nas últimas dez, seis pilotos ficaram pelo caminho.
Alain Prost comemora a vitória em Ímola em 1986 (Foto: Forix)
O primeiro foi Piercarlo Ghinzani, da Osella-Alfa Romeo, sem combustível. Depois a Ferrari de Michele Alboreto perdeu pressão no turbocompressor, eliminando da disputa o quarto colocado. Então foi Marc Surer, da Arrows-BMW, e logo depois seu companheiro de equipe, Thierry Boutsen.
 
Riccardo Patrese não viu a bandeirada, mas ainda assim levou para casa um ponto com a sua Brabham-BMW, classificado na sexta posição com duas voltas a menos. E Keke Rosberg, que era o segundo colocado, fechou em quinto com a McLaren-TAG Porsche, também sem gasolina.
 
Até mesmo Alain Prost quase teve uma pane seca, isso que o francês era considerado bastante econômico. Ele assumira a ponta nos boxes no meio da prova e se mandara administrando a vantagem para o finlandês e também para o tricampeão Nelson Piquet.
 
Líder da primeira à 28ª passagens, Piquet recuperou ao menos o segundo lugar com a pane seca de Rosberg. E Gerhard Berger aproveitou toda a confusão para, com a Benetton-BMW, pular de sétimo para terceiro e subir ao pódio pela primeira vez na carreira. Foi também o primeiro pódio da Benetton, uma futura campeã mundial.
PADDOCK GP #26 FALA SOBRE F1, INDY, MOTOGP E F-E