F1

Na Garagem: com “escalada dos custos” da F1, Tyrrell anuncia venda para BAR

Atual Mercedes, a Tyrrell andou na F1 até 1998, sendo que, em 2 de novembro de 1997, o seu fundador, Ken Tyrrell, anunciou a venda do time para a empresa de cigarros British American Tobacco
Warm Up / RENAN DO COUTO, de São Paulo
 O brasileiro Ricardo Rosset defendeu a Tyrrell na última temporada do time na F1 (Foto: Forix)
Por 29 temporadas, a Tyrrell fez parte do grid da F1. Em 2 de dezembro de 1997, Ken Tyrrell anunciou a data para o fim daquela era: há 18 anos, ele anunciou a venda de sua escuderia para a British American Tobacco — que criou a British American Racing, mais conhecida como BAR.
 
A Tyrrell debutou em 1970 e foi campeã de Pilotos e Construtores já em 1971, com Jackie Stewart como primeiro piloto. O escocês conquistou o bi em 1973.
 
Ao todo, foram 430 GPs e 23 vitórias. Pode parecer pouco, mas o número deixa o time na décima posição no ranking de todos os tempos. Ainda foram 14 poles e 77 pódios.
O brasileiro Ricardo Rosset defendeu a Tyrrell na última temporada do time na F1 (Foto: Forix)
Quando Ken Tyrrell optou pela venda, no entanto, a vida não era das mais fáceis. A última vitória foi no GP dos Estados Unidos de 1983, com Michele Alboreto. A última pole, no GP da Suécia de 1976, com Jody Scheckter. E o último pódio, na Espanha em 1994 com Mark Blundell. A última vez no top-5 do Mundial de Construtores foi em 1990.

Em 1997, foram só dois pontos, de Mika Salo em Mônaco, e a décima e última colocação na tabela.
 
“Essa é a decisão mais difícil que já tive de tomar. Eu acredito que seja a correta. Os custos para se competir na F1 escalaram dramaticamente e a Tyrrell não fica satisfeita por andar no fim do grid. Nosso espírito competitivo é grande demais”, falou o britânico.
 
Mas a Tyrrell, apesar disso, continua na F1 — e já ganhou outros três campeonatos.
A última vitória da Tyrrell foi no GP dos EUA de 1983, em Detroit, com Michele Alboreto (Foto: Forix)
Dentro da árvore genealógica da categoria, a equipe, após se despedir com Tora Takagi e Ricardo Rosset em 1998, virou BAR em 2000. Em 2006, a Honda assumiu a fábrica de Brackley e disputou três temporadas até pular do barco e deixar como herança o carro vencedor da Brawn GP em 2009. Em 2010, o time foi comprado pela Mercedes, que foi campeã em 2014 e em 2015 de forma dominante.

 

 

Pior temporada em anos tem desfecho merecido e leva a pedido: F1, mude jáhttp://grandepremio.uol.com.br/f1/noticias/opiniao-gp-pior-temporada-em-anos-tem-desfecho-a-altura-e-leva-a-pedido-claro-f1-mude-ja

Posted by Grande Prêmio on Segunda, 30 de novembro de 2015
PADDOCK GP EDIÇÃO #8: ASSISTA JÁ