Na Garagem: Fittipaldi estreia na Fórmula 1 e fecha GP da Inglaterra em 8º

Há 50 anos, Emerson Fittipaldi iniciou o período mais vitorioso do Brasil na Fórmula 1. Piloto estreou na categoria com o terceiro carro da Lotus em Brands-Hatch

O dia 18 de julho de 1970 marcou o início de uma era na Fórmula 1. Naquele GP da Inglaterra, disputado em Brands-Hatch, o jovem Emerson Wojciechowska Fittipaldi, de apenas 23 anos, alinhou pela primeira vez no grid da categoria, com a Lotus 49C.

O brasileiro tinha ganhado bastante destaque nas competições de monopostos na Europa. Guiando pela Lotus, ele foi campeão da F3 inglesa em 1969. Ao subir para a Fórmula 2 no ano seguinte, terminou o campeonato na terceira posição. Seus bons desempenhos convenceram Colin Chapman a colocá-lo no terceiro carro da equipe, uma versão antiga, para o GP da Inglaterra.

Fittipaldi se classificou apenas em 21º, enquanto o companheiro de equipe Jochen Rindt anotou a pole-position. Brands-Hatch viu uma corrida disputada, com várias reviravoltas. Jack Ickx, de Ferrari, pulou de terceiro para primeiro na largada e liderou as seis voltas iniciais, até sofrer com problemas de câmbio, deixando Rindt na ponta novamente.

Emerson Fittipaldi largou em 21º e fechou em 8º (Foto: Reprodução)

Com problemas que limitaram a potência do motor, Emerson foi ganhando terreno, se aproveitando dos diversos abandonos da corrida. Na metade da prova, o brasileiro aparecia na 12ª posição.

Jack Brabham ultrapassou Rindt e assumiu a liderança com 10 voltas para o fim, mas sem combustível, abandonou no último giro da corrida, vencida pelo austríaco. Duas voltas atrás, Fittipaldi cruzou na oitava posição.

Emerson seguiu com o terceiro carro da equipe, e somou os primeiros pontos na corrida seguinte, disputada na Alemanha, ao fechar com o quarto lugar. Foi 15º na Áustria antes de desembarcar na Itália, onde viu o companheiro Jochen Rindt morrer em um acidente nos treinos.

De fora das corridas em Monza e em Mont-Tremblant, no Canadá, Emerson foi promovido ao posto de piloto titular da Lotus no GP dos Estados Unidos, em Watkins Glen. Ele venceu a prova, que ajudou Rindt a garantir o título mundial, tornando-se o único campeão póstumo da história da Fórmula 1.

Fittipaldi venceu o Mundial em 1972 pela Lotus e se transferiu para a McLaren em 1974, onde conquistou seu segundo título. Ao total, sua carreira na Fórmula 1 é de 144 largadas, 14 vitórias e 35 pódios.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube