Na Garagem: Itália vê última vitória do ‘BBB’: Brasil, Brawn e Barrichello

A vitória foi simbólica para a história da F1. O terceiro triunfo em Monza deixou Barrichello como o terceiro maior vencedor em Monza, atrás apenas de Michael Schumacher e de Nelson Piquet. Foi também a última vitória da curta e vencedora história da Brawn GP, hoje Mercedes. Para o Brasil, a marca é mais preocupante: foi a última vez que a F1 ouviu o hino brasileiro no pódio

Com o crescimento do automobilismo alemão, vencedor de dez dos últimos 20 títulos, somados aos quatro títulos ingleses, três finlandeses, dois canecos espanhóis e o título canadense de Jacques Villeneuve em 1997, países tradicionais como Áustria, Brasil, França e Itália amargam jejuns de vitórias na categoria. A última vitória italiana veio em 2006, com Giancarlo Fisichella; já a última vez que a F1 ouviu a Marselhesa foi com Olivier Panis, no longínquo 1996. A seca brasileira também é grande.
 
O GP da Itália de 2009 é simbólico por três motivos: representa a última vitória de Rubens Barrichello na categoria, a última vitória e dobradinha da Brawn GP e é também o último triunfo brasileiro na F1. São exatos seis anos da 101ª e última vitória do Brasil, nesse período a F1 viu vitórias da Alemanha, Inglaterra, Espanha, Austrália, Finlândia e até da Venezuela.
Aquela prova também foi o último pódio do piloto na categoria (Foto: Getty Images)
No ínicio daquele ano, Jenson Button foi arrasador: seis vitórias nas sete primeiras etapas da temporada. Após o GP da Turquia, o inglês tinha quase tantos pontos (61) quanto Barrichello (35) e Sebastian Vettel (29) somados. Tamanha vantagem permitiu ao inglês ser campeão mundial sem vencer nenhuma das dez etapas restantes – ele foi ao pódio apenas em Abu Dhabi, etapa final, e na Itália.
 
Isso só foi possível pela divisão de forças da F1 na segunda metade do certame. Red Bull, Ferrari e McLaren passaram a dividir as vitórias no fim da temporada. O GP italiano marcou a quarta e última dobradinha do time de Ross Brawn em 2009: as outras três aconteceram com Button na dianteira, ainda no primeiro terço do campeonato, período em que a Brawn engoliu a concorrência.
Em Monza, Barrichello comemora sua última vitória como piloto de F1 (Foto: Brawn GP)
Barrichello não conseguiu capitalizar o insucesso de Button entre as etapas da Inglaterra e Bélgica. Nessas cinco corridas, Button marcou 11 pontos, mas Barrichello somou apenas 21 no período, fazendo com que a diferença permanecesse em 16 pontos com apenas cinco etapas para o fim do ano. Com as Red Bull de Vettel e Mark Webber e até a McLaren de Lewis Hamilton roubando pontos de Rubens, só uma vitória em Monza serviria para manter as chances de Barrichello de ser campeão.
 
Durante os treinos, Hamilton cravou a pole com o tempo de 1min24s066. Adrian Sutil manteve a boa fase da Force India – Fisichella fora o pole na Bélgica, o GP anterior – e foi o segundo, apenas 0s195 atrás do inglês da McLaren. Kimi Räikkönen, de Ferrari e Heikki Kovalainen, com a outra McLaren, fizeram uma segunda fila finlandesa. Barrichello e Button treinaram com mais combustível e foram quinto e sexto, respectivamente.
 
Hamilton, com menos gasolina no tanque, iria fazer duas paradas. Assim, o inglês pulou na ponta e imprimiu ritmo alucinante à prova. Räikkönen usou o kers para passar o alemão da Force India e a dupla da Brawn se livrou facilmente de Kovalainen. Barrichello acelerou antes de sua parada nos boxes e passou também Sutil. Quando Hamilton foi aos boxes, o brasileiro assumiu a ponta e de lá não mais saiu até a bandeira quadriculada.
O GP da Itália de 2009 marcou a última vitória de Barrichello na F1 (Foto: Getty Images)
Räikkönen era o único dos cinco primeiros não equipado com motor Mercedes. O finlandês lutava contra Sutil para defender sua quarta posição. Nas voltas finais, Hamilton tinha pneus menos gastos e iniciou uma perseguição na tentativa de tomar o segundo lugar de Button. Na penúltima volta, Lewis escapou e bateu na segunda perna da curva Lesmo. O inglês, felizmente, nada sofreu e, com isso, a torcida ferrarista foi premiada com um pódio para Kimi na corrida “de casa”.
 
Rubens venceu a terceira corrida de sua carreira em Monza antes mesmo da entrada do safety-car causado pelo acidente de Hamilton. O segundo lugar de Button alterou pouco a situação do campeonato, com a diferença entre eles ficando em 14 pontos. Sutil conquistou um importante quarto posto para a Force India e Fernando Alonso, Kovalainen, Nick Heidfeld e Vettel fecharam a zona de pontuação.
 
No entanto, apesar do pouco efeito no campeonato, a vitória foi simbólica para a história da F1. O terceiro triunfo em Monza deixou Barrichello como o terceiro maior vencedor em Monza, atrás apenas de Michael Schumacher e de Nelson Piquet. Foi também a última vitória da curta e vencedora história da Brawn GP, hoje Mercedes. Para o Brasil, a marca é mais preocupante: foi a última vez que a F1 ouviu o hino brasileiro no pódio.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube