Na Garagem: Massa chorou às margens do Danúbio vitória perdida que lhe tirou título

Muitos têm na corrida de Cingapura a razão da perda do título de 2008, mas a corrida que mais pesou para Felipe Massa naquele campeonato foi a vitória que perdeu na Hungria faltando três voltas. Foi num 3 de agosto há exatos sete anos

Felipe Massa é a prova de como é possível perder um título mundial num instante ou num detalhe mecânico. No dia 3 de agosto de 2008, o brasileiro liderava o GP da Hungria de 2008 com tranquilidade e se preparava para abrir a volta 68 das 70 previstas para a corrida quando uma fumaça branca começou a sair da traseira da Ferrari dele.
 
Eram 15h30 de uma ensolarada tarde de verão. Massa encostou o carro na mureta dos boxes, encaixou o volante no cockpit e sentou no radiador do carro. Sem as luvas, ergueu a viseira do capacete e levou as mãos aos olhos. As imagens da TV mostram Massa chorando a quebra do carro. Três meses depois, aquele choro seria justificado: Massa perderia o título por um ponto para Lewis Hamilton. A melhor temporada dele na F1 acabaria em vice.
O desespero de Felipe Massa ao ver a Ferrari com problema na Hungria quando liderava (Foto: AP)
A temporada começou mal para Massa, com dois abandonos nas duas primeiras etapas. Mas após quatro pódios seguidos, ele se aproximou de Lewis Hamilton e do então líder Kimi Räikkönen na tabela. Decorridas seis das 18 provas, Räikkönen liderava com 7 pontos de vantagem sobre os dois rivais. Erros da Ferrari com Massa e trapalhadas de Räikkönen e Hamilton na pista levaram a modesta BMW a liderar o campeonato após o Canadá.
 
Da França em diante, Massa e Hamilton começaram a se destacar e mostrar que a briga pelo caneco ficaria entre os dois. Eles venceriam sete das 11 provas restantes. As outras quatro não ficaram com Räikkönen, Robert Kubica ou Nick Heidfeld, como seria esperado: Fernando Alonso venceu o polêmico GP de Cingapura e no Japão; Sebastian Vettel assombraria o mundo no GP da Itália com a Toro Rosso; e Heikki Kovalainen ganharia na Hungria. A primeira vitória do finlandês tiraria o título de Massa.
 
Hamilton largou na frente após conquistar a pole-position com 0s3 sobre Massa. O brasileiro saiu em terceiro, atrás de Kovalainen, mas após uma excelente largada, fez a primeira curva na frente da dupla da McLaren. Depois da ultrapassagem dupla de Massa, a única mudança na pista foi a ultrapassagem de Jenson Button sobre Rubens Barrichello, seu companheiro de Honda. Uma procissão húngara, com Hamilton sem atacar o brasileiro. Essa situação agradava Massa, pois esse resultado traria a diferença no campeonato para 2 pontos.
 
Na volta 41, um pequeno furo no pneu de Hamilton obrigou o inglês a dar uma volta inteira em ritmo lento. Numa estratégia suicida, a McLaren deu a ele pneus supermacios para longas 29 voltas. Com as paradas de outros pilotos, Hamilton era sexto. Nessa situação, Massa sairia de Budapeste com um ponto de vantagem sobre o inglês na tabela. O brasileiro tinha confortáveis 20s de vantagem sobre Kovalainen e resolveu tirar o pé: temia uma quebra causada pelo calor.
 
Quando faltavam 3 voltas para o fim, o pesadelo de Massa se materializou em realidade. O motor estourou, e Massa sabia da importância daqueles 10 pontos para um campeonato tão equilibrado: tinha boa vantagem para Heikki e estava evitando riscos. Aconteceu sem avisar, sem o menor sinal na telemetria”, disse Massa após a prova.
O desespero de Felipe Massa ao ver a Ferrari com problema na Hungria quando liderava (Foto: AP)
Já para o inglês, foi uma lufada de sorte: “Meu pneu furado aconteceu pouco antes da segunda rodada de pit-stops, então só tive o prejuízo de rodar uma volta com pneu vazio. Apesar do contratempo, consegui abrir mais 4 pontos no campeonato. Não foi uma corrida ruim para mim”, disse Hamilton à época. Mesmo o calado Räikkönen comentou a má sorte de Massa: “Estou chateado por Felipe e sei como é duro perder uma corrida assim."
 
Massa ganhou os GPs da Europa e da Bélgica e também chegou na frente de Hamilton no GP da Itália, mas não liderou mais a tabela do campeonato dali em diante. Ambos tiveram maus resultados no GP do Japão, com Hamilton mantendo a diferença entre 5 e 7 pontos na classificação.
 
“Corridas podem ser cruéis por vezes. Demos nosso melhor, mas essas coisas acontecem”. Essa frase de Massa após o GP húngaro acabou sendo profética. Hamilton se atrapalhou no clima maluco e na chuva de Interlagos na última prova da temporada. Massa liderava a corrida e Hamilton estava em sexto: o resultado daria o título ao brasileiro. Mas a ultrapassagem de Hamilton sobre Timo Glock na entrada da reta na última volta tirou o título de Massa. Depois de 2008, ele nunca mais seria protagonista de uma temporada.
O motor já era. Bem como o campeonato de 2008 (Foto: Reuters)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube