carregando
F1

Na Garagem: Prost frustra Senna e vence no retorno da F1 a Interlagos

Após fraca classificação, francês, agora na Ferrari, soube se aproveitar do erro de Senna para vencer no retorno do circuito paulistano ao calendário

Grande Prêmio / PEDRO LUIS CUENCA, São Paulo
COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS:
 
☞ Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.
☞ Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.
☞ Evite aglomerações se estiver doente.
☞ Mantenha os ambientes bem ventilados.
☞ Não compartilhe objetos pessoais.

Após dez anos fora do calendário, Interlagos voltou a receber uma corrida de Fórmula 1 no dia 25 de março de 1990. Depois de problemas com o circuito de Jacarepaguá, que não oferecia muita segurança aos pilotos, a troca foi feita. O circuito paulistano, no entanto, foi remodelado e não apresentou o original traçado. Mais curta e travada, a pista era continuava desafiadora e trazia pontos interessantes, como o "S do Senna".

Alguns problemas antigos continuavam, como o asfalto ondulado e as áreas de escape curtas, fruto de obras aceleradas e em curto tempo, após a definição da mudança no calendário.
 
No sábado, Ayrton Senna novamente mostrou seu talento e fez a pole position com 1min17s277, seguido por Gerhard Berger, seu novo companheiro de equipe. A temida dupla da Ferrari, composta por Nigel Mansell e Alain Prost, ficou apenas na terceira fila do grid, atrás das Williams de Thierry Boutsen e Riccardo Patrese.
 
No dia 25 de março, sob intenso calor, os carros voltaram a partir para uma corrida de Fórmula 1 em Interlagos. Senna seguiu na liderança sem sustos, seguido por Berger e Boutsen. O piloto belga da Williams, porém, ultrapassou o rival da McLaren na volta 8, manobra que Prost também conseguiu voltas depois.

 

 
No meio da confusão, Mansell parou nos boxes na volta 27 para novos pneus e uma inspeção na barra de direção voltando apenas em nono lugar. Boutsen, que vinha em segundo, também teve problema nos boxes por problemas nos freios, voltando apenas na 11ª posição.
 
Prost passou a apertar o ritmo e se aproximar de Senna, que liderava com tranquilidade, diminuindo a diferença para a casa dos 10 segundos. Tentando recuperar o tempo perdido, o brasileiro acelerou e forçou uma ultrapassagem no retardatário Satoru Nakajima no miolo do circuito, perdendo a asa dianteira da McLaren após bater na traseira da Tyrrell.
 
Senna precisou ir aos boxes, voltou em terceiro e não conseguiu mais se recuperar. Prost se aproveitou do erro do brasileiro, assumiu a liderança e não a soltou mais, vencendo o GP do Brasil pela última vez em sua carreira, seguido por Berger. Senna ainda completou o pódio, na terceira posição.
 
Outro brasileiro na disputa, Nelson Piquet precisou fazer uma prova de recuperação para terminar em sexto após uma complicada classificação. Maurício Gugelmin, na Leyton House, e Roberto Moreno, na EuroBrun, não conseguiram se classificar para o GP do Brasil de 1990.
 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.