Na Garagem: Schumacher, Villeneuve e Hill batizam ‘Muro dos Campeões’

Você ouviu falar bastante do ‘Muro dos Campeões’ no fim de semana do GP do Canadá. Aqui vai a história de como surgiu o nome

Não foi sempre que o muro da saída da última curva do Circuito Gilles Villeneuve teve o carinhoso nome de ‘Muro dos Campeões’. Na realidade, o local foi batizado há 17 anos, durante a edição de 1999 do GP do Canadá, disputada em 13 de junho.

 
Das muitas chicanes do traçado em Montreal, a última delas certamente é a mais complicada. Ela vem ao final da reta mais longa da pista, com os carros se aproximando bem acima dos 300 km/h. As zebras são altas e, do lado de fora, o muro é colado.
 
E o muro, como dizem nos autódromos, chama. Naquele dia, chamou três campeões do mundo.
 
Damon Hill, então na Jordan, vinha na 11ª colocação no GP do Canadá quando… 

(A partir de 1min30s)


Depois foi a vez de Michael Schumacher, que era pressionado por Mika Häkkinen pela liderança da prova.

Com a metade da disputa se aproximando, o alemão cometeu o erro:


(No final da volta)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Acabou?

É claro que não. Jacques Villeneuve já tinha batido ali na corrida em 1997, e carimbou o muro novamente. 

Ele não chegou a vencer no circuito que leva o nome do seu pai.

 
(A partir de 14min)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Isso tudo porque, antes deles, o brasileiro Ricardo Zonta também tinha batido no mesmo lugar.
 
Desde então, outros dois campeões bateram no ‘Muro dos Campeões’. Em 2005, antes de se consagrar na F1, Jenson Button deixou sua marca. Mais recentemente, nos treinos para a edição de 2011, foi a vez de Sebastian Vettel. Neste ano, Carlos Sainz bateu ali durante o treino classificatório, e Vettel e Daniel Ricciardo chegaram a ralar a lataria na mesma sessão.

PADDOCK GP #32 DEBATE MotoGP, F1, INDY E STOCK CAR

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube