Na Garagem: Senna dá ‘xis’ em Prost para segurar liderança e vencer na Hungria

O GP da Hungria de 1988 foi vencido de ponta a ponta por Ayrton Senna — graças a um troco imediato em uma tentativa de ultrapassagem de Alain Prost

O circuito de Hungaroring ainda é um dos mais travados do Mundial de F1, mas isso era muito pior lá nos anos 1980. O traçado era mais estreito e tinha ainda mais curvas, com uma média de velocidade baixíssima — apenas 164 km/h na volta da pole.

 
Dá para imaginar como foi a corrida naquele dia 7 de agosto? Pois bem. A edição de 1988 lembrou bastante uma corrida em um circuito oval curto, na Nascar ou na Indy, em que saber negociar com os retardatários é crucial.
Ayrton Senna em 1988 (Foto: Rainer Kurz/Forix)

           
    google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
    google_ad_slot = “5708856992”;
    google_ad_width = 336;
    google_ad_height = 280;

O primeiro “efeito colateral” veio já no sábado, com sete carros de motor aspirado nas dez primeiras colocações, desbancando a potência dos turbo. Ayrton Senna fez a pole com a McLaren Honda, mas foi seguido, na ordem, por Nigel Mansell (Williams Judd), Thierry Boutsen (Benetton Ford), Ivan Capelli (March Judd), Alessandro Nannini (Benetton) e Riccardo Patrese (Williams). Só depois apareceu Alain Prost.

 
No domingo, contudo, o ritmo do francês era tão bom que ele foi capaz de ultrapassar esse povo todo até alcançar Senna, na metade da corrida. Na volta 45, passou Boutsen, e duas voltas depois lançou o ataque sobre Senna enquanto o brasileiro se livrava de Yannick Dalmas e Gabriele Tarquini.
 
Sobrou apenas um pouco de ímpeto na tentativa: Prost passou do ponto, Senna encaixou um belo xis e retomou a liderança imediatamente. Depois, o francês não conseguiu mais atacá-lo devido a um problema em um rolamento da roda.
 
Senna fez valer a lei do mínimo esforço para vencer, como é mais do que compreensível que se faça em Budapeste. Prost cruzou a linha de chegada só 0s5 atrás, e Boutsen completou o pódio.
 
A zona de pontuação ainda teve Gerhard Berger, o brasileiro Maurício Gugelmin, da March, e Riccardo Patrese.
PADDOCK GP #40 RECEBE SÉRGIO JIMENEZ

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube