F1

Na Garagem: Senna vinga eliminação da Copa com vitória sobre franceses nos EUA

Um dia depois de o Brasil cair nos pênaltis diante da França na Copa do México, Ayrton Senna fez a festa da torcida com uma bela vitória contra Alain Prost no GP dos Estados Unidos. Foi há exatos 30 anos
Warm Up / RENAN DO COUTO, de São Paulo
 Ayrton Senna no GP dos Estados Unidos de 1986 (Foto: Forix)

Na década em que o futebol sofria para obter grandes resultados e a economia capengava, a F1 era “o Brasil que dava certo”. E poucas vezes isso foi tão verdade quanto no dia 22 de junho de 1986, há exatos 30 anos.
 
No sábado, o Brasil pegou a França nas quartas de final da Copa do Mundo no México. A partida terminou empatada e, nos pênaltis, o time de Michel Platini levou a melhor. 
 
No domingo, Ayrton Senna, com a Lotus, alinhou na pole-position em Detroit para a largada do GP dos Estados Unidos.
Ayrton Senna no GP dos Estados Unidos de 1986 (Foto: Forix)

O início foi tumultuado. Senna manteve a ponta na largada, mas errou uma marcha na segunda volta e permitiu a passagem de Nigel Mansell. Seis voltas depois, retomou a ponta, porém teve de ir aos boxes na volta 12 com um pneu furado.
 
De repente, a corrida estava nas mãos dos franceses. René Arnoux e Jacques Laffite, ambos da Ligier, iam formando uma dobradinha. Já Alain Prost, brigava pelo pódio com Mansell e Nelson Piquet.
 
Senna foi se recuperar após os pit-stops dos adversários. A Ligier se atrapalhou com os dois carros e despencou. Senna recuperou os lugares que havia perdido e foi para a ponta outra vez, e, aí, com uma boa vantagem para Prost depois que Piquet bateu e foi atingido por Arnoux.
 
A quarta vitória da carreira na F1 foi confirmada com uma vantagem de 30s para Laffite, segundo colocado. Prost perdeu rendimento nas voltas finais com um problema no motor e chegou em terceiro.
 
Para comemorar, Senna pegou uma bandeira do Brasil com um torcedor à beira da pista e a carregou durante a volta da vitória. O gesto, ao menos para a torcida brasileira, foi visto como uma vingança pelo resultado do dia anterior e contribuiu para que o piloto caísse de vez nas graças do povo.
 
O melhor de tudo: ele ainda superou Prost e assumiu a liderança do campeonato após sete de 16 etapas.
 
Um ano depois, Ayrton voltaria a ganhar nas ruas de Detroit. Em 21 de junho de 1987, ele deu à Lotus ‘original’ a sua 79ª e última vitória na F1.

Na transmissão da TV Globo, a narração foi de Luiz Alfredo, e os comentários, de Reginaldo Leme:
 
PADDOCK GP #33 ANALISA GP DO CANADÁ E FAZ PRÉVIA DO GP DA EUROPA