Na Garagem: Vitória na Alemanha abriu caminho para o tri de Stewart em 1973

A F1 partiu para seu circuito mais assustador em 5 de agosto assustada pela morte de Roger Williamson — tanto que boa parte do grid resolveu nem correr em Nürburgring. E foi lá que Jack Stewart ganhou e abriu uma diferença confortável para Emerson Fittipaldi que lhe deu o terceiro título

O GP da Alemanha de 1973 foi a 11a etapa daquela temporada, polarizada entre Jack Stewart, da Tyrrell, e Emerson Fittipaldi, da Lotus. O brasileiro defendia o título contra o escocês bicampeão.
 
Fittipaldi teve uma primeira metade de campeonato impecável: sete pódios nas sete primeiras etapas, com três vitórias nesse período. Após a prova da Espanha, quarta de 15 etapas, o brasileiro tinha 12 pontos de vantagem da tabela (31 × 19).
 
No entanto, num intervalo de sete etapas, da Bélgica até a Alemanha, Stewart conseguiu seis pódios, com quatro vitórias nesse período. Já o piloto da Lotus obteve apenas dois pódios (Bélgica e Mônaco) e um sexto lugar na Alemanha. O escocês voador marcou 41 × 11 e abriu 18 pontos de diferença no campeonato.
 
Fittipaldi não dependia mais de si para ser campeão: precisava vencer as últimas quatro provas; Stewart, por sua vez, depois da Alemanha, precisaria apenas de dois segundos lugares e dois terceiros para ser campeão.
Fittipaldi chegou em sexto (Foto: Divulgação)
A F1 chegou a Nürburgring ainda abalada pela morte de Roger Williamson, ocorrida apenas uma semana antes, em Zandvoort, Holanda. A March, em luto, decidiu não correr — e a prova era no antigo Nordschleife, com seus 22,8 km. Assim o fizeram também Ferrari, Ensign, Hesketh e Tecno. Para evitar o esvaziamento do grid, Brabham, McLaren e Williams correram com três carros. O ferrarista Jacky Ickx correu pela rival McLaren. 
 
Stewart capturou a pole, seguido de Ronnie Peterson, companheiro de Fittipaldi na Lotus. François Cevert, com a outra Tyrrell, e Ickx, com a McLaren, fizeram a segunda fila. O brasileiro largou apenas em 14º, sofrendo com dores no tornozelo, fruto de um acidente na Holanda. Era o último ato de uma sequência péssima para Emerson desde Zolder.
 
O domingo amanheceu com tempo bom em Nurburgring e o público compareceu em bom número. Mas Stewart não estava a fim de colaborar com uma corrida emocionante: liderou de ponta a ponta, comboiado pelo companheiro Cevert. Fittipaldi, mesmo contundido, fez uma boa prova de recuperação e chegou em sexto, marcando um ponto. O esforço não foi suficiente: Stewart deixaria o 'Inferno Verde' com 18 pontos de vantagem para o brasileiro.
Stewart vence na Alemanha e ruma ao tricampeonato da F1 (Foto: Divulgação)
Stewart não ganhou mais nenhuma prova até o fim da temporada – apenas manteve a diferença para Fittipaldi. O escocês foi segundo na Áustria, quinto no Canadá e quarto na Itália, somando mais 11 pontos. O brasileiro foi segundo em Monza e Mosport, e sexto nos EUA, obtendo 13 pontos. No entanto, o abandono na Áustria foi fatal para as pretensões de título do piloto da Lotus.
 
Outras curiosidades marcam esse GP alemão de 1973. Essa foi a primeira corrida com restrição na propaganda de cigarros. Em 1974, ela seria banida completamente da etapa alemã e só voltaria a ser exibida em 1999, com a corrida já em Hockenheim. Em 2006, a F1 baniu completamente os comerciais tabagistas da categoria.
 
Também foi a única vez na qual três pilotos brasileiros chegaram em posições consecutivas nos pontos. José Carlos Pace foi quarto colocado com a Surtees e Wilson Fittipaldi foi quinto com a Brabham – na única oportunidade em suas três temporadas na F1 onde pontuou à frente do irmão mais famoso.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube