Na luta por top-3 da Fórmula 1, Aston Martin confirma novo chassi para 2021

Em meio a um cenário econômico conturbado e com desenvolvimento limitado de peças de 2020, a Aston Martin resolveu apostar as fichas em uma mudança no chassi para tentar derrotar a McLaren, a Ferrari e a Renault em 2021

A temporada 2021 da Fórmula 1 vai ser uma espécie de continuação do campeonato de 2020 em muitos aspectos, mas com suas diferenças. Apesar do regulamento bastante próximo do anterior, as equipes vão mexer em alguns pontos de seus carros e, no caso da Aston Martin, uma das mudanças é importante: o chassi, grande aposta para levar a melhor na apertada disputa pelo terceiro lugar do Mundial de Construtores.

Ainda com o nome de Racing Point, a equipe perdeu o top-3 em 2020 de forma dramática. Na última corrida, em Abu Dhabi, a McLaren somou 18 pontos, enquanto a Racing Point, que vinha de vitória com pódio duplo em Sakhir, só anotou 1 tento. Para 2021, com Sebastian Vettel na vaga de Sergio Pérez, o time mantém a essência do carro anterior, mas longe de ser igual.

“Não tivemos o padrão de desenvolvimento que geralmente temos, então a filosofia foi praticamente manter o carro. Mesmo assim, a FIA fez algumas mudanças aerodinâmicas importantes para tirar downforce e diminuir um pouco da velocidade. Assim, precisamos redesenvolver muita coisa”, disse Otmar Szafnauer, chefe do time, ao canal britânico Sky Sports.

A Aston Martin, bem como todos os times do grid, passa por um momento financeiro que não é dos melhores. A pandemia de covid-19 diminuiu consideravelmente os investimentos na categoria, o que fez o regulamento novo passar para 2022. Assim, os times ficaram com duas fichas de desenvolvimento para 2021 e a equipe de Lawrence Stroll focou no chassi.

“É a primeira vez que um mesmo carro vai para o ano seguinte com tantas partes novas. Então, ainda que a filosofia seja de preservar o que veio de 2020, temos muitas partes novas no carro, bastante desenvolvimento aerodinâmico novo e até chassi novo fizemos. O carro é parecido com o de 2020, mas predominantemente novo”, seguiu.

Com a chegada de Vettel, a Aston Martin tenta se firmar no top-3 da categoria, mas o dirigente vê a Ferrari, mordida pelo desempenho de 2020, e a McLaren, de motor Mercedes, como adversárias bastante perigosas.

“O terceiro lugar é a nossa meta. Não acho que vai ser fácil, temos adversários formidáveis, mas é a meta. A Ferrari vai trabalhar duro para se recuperar, a McLaren vai mudar de motor e usar o mesmo que o nosso e sei que isso foi feito pensado para disputarem com a gente. A FIA fez algumas mudanças que podem impactar nas performances dos carros e, além disso, alguns pilotos mudaram de equipe, vamos ver como a coisa fica”, completou Szafnauer.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube