Na quarta fila, Sainz e Norris festejam “passos enormes” da McLaren nos EUA

A McLaren voltou a fazer um grande trabalho na temporada e foi um dos grandes destaques da classificação do GP dos Estados Unidos. Lando Norris, inclusive, brilhou ao marcar o melhor tempo do Q1. No fim das contas, o britânico vai largar lado a lado de Carlos Sainz, que obteve o sétimo melhor tempo da sessão. Os dois almejam, além de outro belo resultado, que o filme visto no México, semana passada, não se repita

'Trio de ferro' à parte, a McLaren é uma das grandes equipes da temporada 2019 do Mundial de F1. A notória evolução alcançada pela escuderia de Woking, depois de anos de calvário, foi novamente refletida na performance dos carros de Carlos Sainz e Lando Norris na tarde deste sábado (2) em Austin. O prodígio britânico, inclusive, brilhou ao liderar o Q1 do treino classificatório no Circuito das Américas. No fim das contas, a jovem dupla vai compor a quarta fila do grid, com Sainz partindo em sétimo, lado a lado com Norris.
 
“Muito satisfeito. As duas voltas no Q3 foram incríveis. De repente, encontrei 0s2 ou 0s3 extras de mim e do carro, o que não esperava. Então, quando vi 32s8 na tela, foi muito bom”, fazendo menção ao tempo obtido na fase final da classificação: 1min32s847.
Lando Norris foi o mais rápido do Q1 em Austin neste sábado (Foto: McLaren)
“32s8 aqui é louco. Ficamos muito pertos da pole do ano passado. Então acho que a McLaren deu enormes passos à frente”, ressaltou.
 
“De ontem para hoje, houve mudanças nas condições da pista que nos ajudaram bem. O carro parecia outro. A mudança na direção do vento e da temperatura nos ajudaram. Fiz duas voltas muito boas no Q2 e, pelo menos, marcamos outro sétimo lugar”, destacou o espanhol em entrevista à emissora Movistar F1.
 
Sainz, que neste domingo vai disputar sua 100ª corrida no Mundial de F1, assim como Max Verstappen e Kevin Magnussen, torce para que a sorte da McLaren seja diferente do que há uma semana, quando a equipe teve um duro revés e não conseguiu marcar um bom resultado no Autódromo Hermanos Rodríguez
 
No caso de Sainz, o grande problema foi a performance com os pneus duros no segundo stint da prova. “Vamos focar e analisar [os dados] para que não aconteça o que aconteceu no México”.
 
Norris também vibrou com a performance da McLaren neste sábado no Texas. “Foi bom para nós. Comparando com onde estávamos ontem, acho que fizemos um bom progresso. O vento nos favoreceu e tiramos proveito disso, mas ele vai voltar ao que foi ontem”, explicou.
 
“Sétimo e oitavo é [um bom resultado] para nós. Estou feliz”, comemorou.
 
O novato também quer esquecer o que aconteceu no México, onde teve a corrida arruinada depois de um erro da equipe na troca de pneus. “Agora é focar em nossa corrida e não ter um outro México”, concluiu.
 
A largada do GP dos EUA está marcada para 16h10 (horário de Brasília) deste domingo. O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e em TEMPO REAL.
Paddockast #40
QUEM VOCÊ ENTREVISTARIA NO GP DO BRASIL?

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube