F1

"Não há razão para apontar certos cenários": Vettel insiste que "Leclerc e eu estamos livres para lutar" na Ferrari

Sebastian Vettel garantiu que não há uma orientação de primeiro e segundo pilotos na Ferrari. O alemão disse que ele e Charles Leclerc - o novo companheiro de equipe - estão livres para disputar um contra o outro, mas sempre pensando que a equipe vem em primeiro lugar
GRANDE PRÊMIO / EVELYN GUIMARÃES, de Curitiba
A Ferrari decidiu promover o jovem e talentoso Charles Leclerc para o lugar de Kimi Räikkönen, com esperança de fortalecer a equipe para tentar acabar com o jejum de títulos que já dura mais de dez anos. Dado o histórico do time vermelho em sempre apontar um primeiro piloto para a disputa da taça - nos últimos anos, Sebastian Vettel tem liderado a esquadra -, a questão que fica é se Leclerc vai realmente assumir o posto de escudeiro do alemão. Questionado sobre isso, nesta quinta-feira (14), em Melbourne, onde a F1 está para a abertura do campeonato, Vettel insistiu que ambos estão livres para disputar entre si e que a orientação é que a Ferrari vem em primeiro lugar.

Ainda no início do ano, o novo chefe da esquadra vermelha, Mattia Binotto, chegou a dizer que o tetracampeão teria prioridade em certas situações, mesmo no começo do campeonato. Mais tarde, já durante a pré-temporada, o dirigente voltou atrás e esclareceu que os dois pilotos estão "livres para lutar", mesmo reiterando que o #5 pode, realmente, ter a equipe a seu favor em algumas circunstâncias. "Certamente, se houver alguma situação ambígua no início do ano, Sebastian é quem tem mais experiência, está conosco há mais tempo, já ganhou campeonatos, então ele é o nosso campeão", disse Binotto à época.
Lewis Hamilton; Daniel Ricciardo e Sebastian Vettel (Foto: AFP)
Vettel, por sua vez, descartou o posto de primeiro piloto e afirmou: "Não acho que há muito sentido em determinadas situações. Penso que está tudo muito nítido. Binotto também deixou claro que estamos livres para competir entre si. Acredito que Charles vai fazer o melhor para si mesmo e para ajudar a equipe. O mesmo vale para mim. Vou fazer o meu melhor para ajudar a mim mesmo e ao time."

"No fim das contas, estamos correndo para a Ferrari, e isso significa tentar colocá-la no melhor lugar possível", completou. "Essa é a prioridade. De resto, temos uma longa temporada pela frente e acho um pouco inútil, neste momento, começar a apontar determinados cenários", emendou.

Sentado na mesma bancada com Vettel, Lewis Hamilton também foi chamado a falar sobre ordens de equipes e hierarquia dentro da Mercedes. Em 2018, o inglês precisou da ajudar do companheiro Valtteri Bottas para vencer o GP da Rússia. O pentacampeão, no entanto, afirmou que a dupla abre a temporada em igualdade de condições.

"Estamos livres para correr, como acontece todo ano. Isso foi dito desde o começo, quando voltamos à fábrica e a agora. É assim que gosto. Isso significa que é justo. Tem sido assim todo o ano. A mesmo que chegue o momento em que um dos dois não tenham mais condição de vencer o campeonato. Aí as coisas podem mudar, mas, em geral, estamos livres para correr e acho ótimo", encerrou.

GRANDE PRÊMIO segue todas as atividades do fim de semana do GP da Austrália de F1. Acompanhe tudo aqui.