F1

"Não são vocês, sou eu": Chefe da Red Bull diz que Ricciardo justificou saída como em término de namoro

Christian Horner revelou que a saída de Daniel Ricciardo da Red Bull teve, também, um lado cômico: segundo o chefe da equipe, o australiano chegou a falar a clássica frase de término de relacionamento para explicar a mudança para a Renault
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Deixar a Red Bull para se transferir para a Renault não foi uma decisão fácil para Daniel Ricciardo, como ele já deixou claro anteriormente. O que não se sabia é que o australiano ficou até "sem graça" ao avisar a equipe austríaca de sua saída.

Segundo Christian Horner, chefe da Red Bull, aquele que ele considera o "melhor ultrapassador da F1" teve que recorrer até a um famoso clichê para informar que deixaria o time. 

"Ele realmente disse isso, ele usou a clássica frase de término de namoro: 'não são vocês, sou eu'! Eu acho que ele só queria, genuinamente, um novo desafio", disse Horner ao 'Motorsport'.
Daniel Ricciardo e Christian Horner (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Para o dirigente, a Red Bull "fez tudo o que podia" para manter Ricciardo: "Eu acho que, provavelmente, ele estava um pouco preocupado sobre seu valor em relação à evolução de Max Verstappen, e provavelmente tinha dúvidas sobre a Honda."

"Você sempre tem um plano B. Assim que percebemos que Ricciardo estava falando sério, que era essa sua ideia, foi uma decisão fácil presentear Pierre Gasly (com a subida da Toro Rosso para o time principal do grupo)", completou.

A Toro Rosso, aliás, foi a última afetada pela movimentação de Ricciardo: com a ida dele para a Renault e a de Gasly para a Red Bull, o time italiano foi o último a fechar sua dupla para 2019, com os nomes de Daniil Kvyat e Alexander Albon.