F1

Nasr abandona GP de Mônaco acertado por companheiro Ericsson e provoca crise na Sauber

O GP de Mônaco de Felipe Nasr será um final de semana para esquecer. Após problemas na classificação, a corrida deste domingo (29) apenas confirmou a onda de azar do brasileiro. Ao não obedecer a Sauber e permitir Marcus Ericsson de ultrapassá-lo, os companheiros acabaram se envolvendo em um acidente, em que o brasileiro se viu obrigado a abandonar

Warm Up / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
O final de semana em Mônaco não foi exatamente um sonho para Felipe Nasr. Na prova da manhã deste domingo (29) o brasileiro e seu companheiro de Sauber Marcus Ericsson acabaram se envolvendo em um incidente.

Quando a corrida já estava na volta 51, faltando 27 para a bandeira quadriculada, a equipe pediu ao piloto do carro #12 deixar o sueco  ultrapassá-lo. No entanto, Nasr não permitiu e foi quando a confusão começou.

Os colegas vinham então em uma disputa pela 15ª posição. Ao entrarem em uma curva Ericsson tentou passar o brasileiro por dentro. Sem sucesso, ambos acabaram colidindo com o titular do #12 levando a pior, ficando parado na contramão e sendo obrigado a ir para os boxes e abandonando. Pouco depois o piloto do #9 também deixou a corrida.
Incidente entre Nasr e Ericsson (Foto: Reprodução/Twitter)
Mas esse não foi o primeiro golpe de azar que Felipe sofreu no final de semana em Mônaco. Durante a classificação do sábado, assim que os cronômetros começaram a rodar no Principado e o piloto deixou os boxes, seu motor começou a soltar fumaça e apresentar problemas. Sem chances de se classificar, acabou largando em último.

Ao comentar do incidente, Nasr explicou que o seu pneu estava mais frio que o de seu companheiro por ter parado mais tarde, mas que estava se aproximando dos pilotos à sua frente. “Eu deixei para parar umas voltas depois que ele, então era óbvio que o pneu dele estava melhor, mais quente”, disse.
 
“Acabou que eu peguei todas as bandeiras azuis, claro que meu pneu esfriou. Mas eu recuperei ritmo, estava me aproximando dos carros da frente, estava fazendo minha corrida”, continuou.
 
O brasileiro lamentou o incidente, afirmando que não viu necessidade de abrir para Ericsson, que inclusive o mesmo caso, ao contrário, já aconteceu em algumas provas da temporada passada. “Claro, eu ouvi o pedido de troca, mas não achei que era hora de fazer isso, estava na minha corrida, me aproximando dos carros da frente”, comentou.
 
“Infelizmente acabou ali. Para mim não tem nada para conversar, tinha um traçado só, um trilho seco, só senti a pancada. Ano passado tiveram duas ocasiões que ele não obedeceu, eu, para mim, não tinha motivo nenhum para obedecer”, encerrou.
PADDOCK GP #30 DEBATE INDY, F-E E MOTOGP